Mesa Temática de Igualdade de Oportunidades debate inclusão de Pessoas com Deficiência

Na reunião foram apresentados dados sobre a quantidade de Pessoas com Deficiência na categoria bancária. Além disso, foram debatidos temas como contratação, ascensão profissional e acessibilidade para esses trabalhadores e trabalhadoras.

A Contraf e a Fenaban se reuniram, em São Paulo, na Mesa Temática de Igualdade de Oportunidades. Na reunião, onde o principal assunto abordado foi a inclusão de Pessoas com Deficiência, os representantes dos patrões apresentaram o Programa de Valorização da Adversidade.

Com base nesta apresentação, foram apontados os números do ano de 2008 (I Censo da Diversidade) no que diz respeito ao percentual de Pessoas com Deficiência na categoria bancária, que corresponde a 1,8%. Também mostraram o de 2014 (II Censo da Diversidade), que foi de 3,6%. Em 2016, segundo a Febraban, este número passou a ser 4%.

Após a apresentação, os representantes dos trabalhadores abordaram a questão da contratação, da ascensão profissional e acessibilidade.

“O primeiro obstáculo que a Pessoa com Deficiência encontra são as instalações das agências, pois muitas não têm as condições adequadas, sequer para atender ao público. A segunda barreira é ascensão, que, aliás, é um problema que atinge também todos e todas que não são homem, branco, heterossexual. A inclusão das Pessoas com Deficiência não pode ser encarada como um favor. Precisa ser uma política que reconheça os entraves pelos quais elas passam e garanta uma igualdade de oportunidades por inteiro”, diz o diretor do Sindicato dos Bancários/ES, Thiago Duda.

A próxima reunião da Mesa Temática de Igualdade de Oportunidades ocorrerá em novembro deste ano.

Com informações da Contraf

Imprima
Imprimir