Bancários do BB discutem minuta com o banco

Os representantes dos empregados do BB cobraram respostas efetivas da direção do banco e uma nova rodada de negociação está marcada para o dia 30 de agosto

Mesa-Negociacao-BB

Aumento do piso de ingresso no banco, retorno das substituições de comissionados e o modelo da agência digital foram alguns dos principais pontos discutidos na primeira mesa de negociação específica do Banco do Brasil, nessa terça-feira, 23. A minuta da categoria foi apresentada à direção do banco e uma nova negociação foi marcada para o próximo dia 30 de agosto.

Outras importantes reivindicações dos bancários do BB apresentadas ao banco foram a necessidade de revisão do atual interstício do plano de carreira, aumento do piso de ingresso e melhoria no valor da carreira de mérito, ampliando para todos os cargos, incluindo os escriturários.

O retorno das substituições de comissionados também foi amplamente discutido. Em vários locais de trabalho têm ocorrido constantes desvios de função, com empregado ocupando um cargo superior sem receber a devida remuneração. A Comissão de Empresa defendeu que a ampliação das substituições, além de diminuir o passivo trabalhista, contribui muito no processo de formação dos bancários.

“Os bancários e bancárias devem se organizar, esse é um momento de resistência e devemos fortalecer nossa mobilização. É importante que todos se envolvam na Campanha e participem das assembleias. Somente a nossa união vai garantir avanços para a categoria”, enfatiza a diretora do Sindibancários/ES, Goretti Barone.

Nessa primeira rodada de negociação também foram cobrados do banco a revisão do Plano de Funções do BB com melhoria nos valores das comissões, a mudança de cargos prejudicados pela implantação do plano atual, como os gerentes de relacionamento e gerentes de serviço e, ainda a negociação da jornada de 6 horas para os cargos técnicos da direção geral.

BB Digital

O modelo de agência e atendimento digital foi amplamente debatido, com foco na manutenção dos cargos, salários e condições de trabalho dos bancários envolvidos na migração do modelo atual para o digital. Juntamente com essa discussão, foi abordada a preocupação com as diversas reestruturações dentro do BB, sem garantias para os empregados.

Os representantes dos bancários e bancárias também reivindicaram a criação de uma verba de caráter pessoal específica para proteção salarial nas reestruturações, o VCP-R.

Saúde do trabalhador

No tema saúde do trabalhador e da trabalhadora, foi reivindicada à direção do BB uma atenção aos casos de adoecimento dentro da empresa, com destaque para os casos de doenças mentais, que tem sido a causa de muitas ocorrências nos últimos anos.

Também foi reivindicada a continuidade das mesas temáticas de saúde e resolução de conflitos, bem como a implantação de duas mesas temáticas sobre o Economus Saúde e Previdência e, ainda, uma mesa específica sobre a carreira dos profissionais como engenheiros, advogados, arquitetos e demais cargos de nível superior.

Direitos das bancárias

Entre os itens da minuta referentes à pauta das mulheres bancárias, foi cobrado do banco a continuidade dos auxílios alimentação e refeição durante todo o período de licença maternidade e outras licenças, bem como a negociação dos 15 minutos de intervalo.
Após os debates desta primeira rodada, os representantes dos bancários e bancárias do BB cobraram respostas concretas do banco sobre as reivindicações.

Com informações da Contraf

Imprima
Imprimir