Encontro definirá minutas de reivindicação para campanhas específicas

Encontro será realizado no próximo dia 12 de maio, das 9h às 13 horas, no auditório do Sindibancários/ES

Bancários e bancárias do Banestes e do Bandes são convocados para discutir e aprovar as reivindicações específicas para a campanha salarial deste ano. A plenária será realizada no próximo dia 12 de maio, das 9h às 13horas, na sede do Sindibancários/ES. Durante o encontro também serão aprovadas as estratégias de luta para construir uma campanha forte em defesa da manutenção do acordo coletivo da categoria.

INSCREVA-SE

A aprovação da reforma trabalhista traz consequências diretas para o acordo coletivo dos bancários e das bancárias. Uma delas é o fim da ultratividade da norma, ou seja, da validade por tempo indeterminado das cláusulas do acordo em caso de não negociação. Por isso, os bancários correm o risco de perder todos os direitos conquistados, como auxílios alimentação, refeição, entre outros, caso o acordo não seja renovado até 31 de agosto, dia anterior à data base da categoria.

“A questão central neste ano é a garantia da renovação do acordo coletivo, dos nossos direitos e da manutenção do padrão de contratação. Precisamos nos mobilizar, construir uma greve forte para derrotar qualquer tentativa de implantação da reforma trabalhista. Por isso, contamos com a participação de todos os banestianos e bancários do Bandes nesta plenária para, juntos, construirmos nossa resistência”, enfatiza o coordenador geral do Sindibancários/ES, Jonas Freire.

Lutar por direitos

A defesa da Banescaixa deve ser um dos principais eixos da campanha salarial deste ano. Com aumentos sucessivos, o plano de saúde tem se tornado quase inviável para os bancários. A contratação de bancários, o fim das terceirizações dentro do banco e a defesa do Banestes público e estadual também serão prioridades.

garantir essas e outras reivindicações, será preciso o envolvimento de todos os bancários nesta campanha. O fechamento da mesa de negociação permanente sobre a Banescaixa, como garante o último acordo específico dos banestianos, e o descumprimento da cláusula sobre o pagamento da REV são indícios de que as negociações serão difíceis.

“A falta de diálogo com a categoria bancária é uma marca da atual direção do Banestes. Por isso, a participação de todos os banestianos nesta campanha, construindo uma greve forte, é vital para sairmos vitoriosos ao final das negociações”, destaca o diretor do Sindibancários/ES, Jessé Alvarenga.

É preciso defender a Banescaixa

O novo reajuste da Banescaixa, de 17,31%, aprovado pelo Conselho Deliberativo no dia 26 de abril, torna ainda mais urgente as negociações sobre o tema. Os aumentos sucessivos no plano podem torná-lo inviável para trabalhadores, por isso, precisamos pensar saídas que garantam a sustentabilidade da Banescaixa sem onerar os bancários. Nesse sentido, cobrar a responsabilidade do banco com a saúde dos empregados é fundamental.

Desde 2009, quando a Banescaixa passou por uma mudança na forma de contribuição que reduziu os valores repassados pelo banco, o plano apresenta deficit. E De lá pra cá, passou por vários reajustes. Foram aplicados os índices de 8,54% em 2017, 9,91% em 2016 e 9,34% em 2015. Isso sem falar no reajuste de 28,71% feito em 2014, que foi revertido para 8% após mobilização da categoria. O teto da coparticipação, valor máximo pago na realização de exames e consultas, também foi elevado, passando de R$ 85 para R$ 461 entre outubro e dezembro de 2017, após dois aumentos consecutivos.

Plenária
12 de maio, das 9h às 13 horas
Local: auditório do Sindibancários/ES
Rua Wilson Freitas, 93, Centro, Vitória/ES.

Imprima
Imprimir