Mobilização contra a reforma da Previdência ganha força nas ruas

A reforma da Previdência vai à votação no próximo dia 28 e pressão popular já conseguiu reverter o voto de quatro deputados capixabas

Diretoria do Sindibancários/ES na panfletagem contra a reforma da Previdência, em Campo Grande, Cariacica (Foto: Fábio Vicentini)

Uma nova mobilização contra a reforma da Previdência tomou as ruas de Campo Grande, em Cariacica, Vitória e do interior do Estado na manhã desta quinta-feira, 08. Entidades sindicais e movimentos sociais realizaram uma panfletagem denunciando o ataque do governo Temer à aposentadoria dos trabalhadores. A pressão popular está dando resultado e quatro deputados capixabas já mudaram o voto e serão contra a PEC 287-A, que propõe mudanças drásticas na Previdência Social.

Imposição de idade mínima de 65 anos para homens e 62 para mulheres e corte em cerca de 40% do benefício da aposentadoria são algumas das mudanças previstas na reforma da Previdência. A repulsa a essas alterações cresce cada vez mais entre a população, apesar do empenho do governo Temer em gastar milhões com propagandas mentirosas sobre um possível “déficit” da Previdência.

“Dialogamos com a população e é perceptível como é crescente a rejeição è reforma da Previdência. Os trabalhadores estão atentos que não haverá corte de privilégios dos políticos e da alta cúpula do Judiciário, entre outros, com essa reforma, e que o governo não cobra os débitos previdenciários das grandes empresas e bancos. Os movimentos sociais e sindicais também continuam pressionando os parlamentares e governo. A mudança de votos dos deputados é fruto dessa mobilização, e agora é hora de manter e ampliar nossa luta para garantir nossa vitória contra esse projeto. Convocamos os bancários e todos os trabalhadores para ocuparem as ruas na paralisação do dia 19, pois essa reforma representa o fim da aposentadoria”, destaca o coordenador geral do Sindibancários/ES, Jonas Freire.

Os deputados capixabas Norma Ayub (DEM), Carlos Manato (SD), Paulo Foletto (PSB) e Dr. Jorge Silva (PHS) mudaram de posicionamento e votarão contra a proposta. Ainda permanecem a favor da reforma os deputados Lelo Coimbra (PMDB), Evair de Melo (PV), Marcus Vicente (PP) e os senadores Magno Malta (PR), Rose de Freitas (PMDB) e Ricardo Ferraço (PSDB).

Mudanças

Nessa quarta-feira, 07, o deputado relator da Reforma da Previdência, Arthur Oliveira Maia (PPS-BA) anunciou mudança no texto, na tentativa de conseguir mais votos favoráveis à PEC. A alteração beneficia viúvos e viúvas de policiais rodoviários federais, policiais federais e policiais civis que passam a ter direito a receber pensão integral, e não mais um percentual do salário, como previa a versão anterior.

 

 

Imprima
Imprimir