Moção de apoio à luta pela reforma agrária no Espírito Santo

Luta por reforma agrária se faz urgente para garantir dignidade à classe trabalhadora

O Sindibancários/ES manifesta seu apoio e solidariedade às mais de 200 famílias do acampamento Fidel Castro, do Movimento do Trabalhadores Rurais Sem Terra, que tiveram suas casas e lavouras brutalmente destruídas em ação policial realizada no último dia 11.

A ocupação acontecia há 9 meses na fazenda Itaúnas, às margens da BR 101, próximo ao distrito de Braço do Rio, em Conceição da Barra. Mais de 50 hectares de plantas alimentícias, medicinais e ornamentais cultivados pelos trabalhadores foram destruídos pela truculência da tropa de choque com o uso de cavalaria e helicóptero para reprimir e dispersar os ocupantes. As famílias foram reconduzidas para uma escola no assentamento Jundiá, onde permanecem reorganizando o acampamento.

Concentração da terra e da renda – a causa da pobreza e da violência

No município de Conceição da Barra, a concentração da terra e o modelo do agronegócio são tão violentos quanto o aparato do Estado utilizado para expulsar as famílias acampadas na área da falida Destilaria Itaúnas S/A (DISA) e da Agropecuária Aliança S/A (APAL).

O problema se aprofunda quando se constata que a maioria das grandes áreas agricultáveis estão ocupadas com eucalipto, cana de açúcar e pastagem – atividades agropecuárias que não geram postos de trabalho no campo, utilizam altos índices de agrotóxico e não movimentam a economia local, além de gerar o aumento da violência e da pobreza.

Bloqueio à reforma agrária

O bloqueio à reforma agrária através da aprovação da Medida Provisória 759 – que trata da privatização das terras  – está sendo realizada na esfera política, jurídica, financeira, policial e midiática, em favorecimento ao avanço do agronegócio. Outras medidas complementam esse cenário: estrangeirização das terras, mudanças na legislação do uso de agrotóxico, transgênicos, mudança no código florestal e a criminalização dos movimentos sociais no campo.

Duas reintegrações de posse estavam previstas para acontecer hoje (18): nos acampamentos Antônio Conselheiro (50 famílias) e Ondina Dias (300 famílias), ambos em Nova Venécia. A luta por reforma agrária se faz urgente e necessária para garantir dignidade para a classe trabalhadora do campo e da cidade.

 

Imprima
Imprimir