Movimento LGBT capixaba vai às ruas protestar contra a homofobia

Fórum Estadual LGBT do ES realiza ato e cobra políticas voltadas à comunidade no Dia Internacional de Luta contra a LGBTFobia.

O Fórum Estadual LGBT do ES estendeu uma enorme bandeira na manhã desta terça-feira (17), Dia Internacional de Combate a LGBTfobia, na escadaria do Palácio Anchieta. O ato parece embebido pela mais fina ironia: num estado marcado por números vergonhosos de violência contra lésbicas, gays, bis, travestis e trans, exponencialmente alarmantes na parcela negra dessas populações, nada mais justo que manchar com as cores do arco-íris a sede do Executivo capixaba para lembrar o governo que há uma dívida histórica e ela precisa ser paga já, pois os juros cobrados pela ausência de políticas estaduais para as minorias são cobrados com vidas.

bancarios-es-lgbt-forum

Foto: Haroldo Lima.

A mobilização organizada pelo Fórum começou com a confecção coletiva de cartazes e performances durante a manhã. Em grande parte deles, o “Fora Temer” dividia espaço com reivindicações históricas do movimento, como a criminalização da homofobia e reivindicava o Tripé da Cidadania para conter a sangria da comunidade acompanhada pelos defensores de direitos humanos capixabas.

A performance da drag-queen MariMoon, de colant e maquiagem noturna, nos lembrava da possibilidade de se viver como se quer – e se pode viver – também neste estado.

A manifestação continuou durante a tarde com falas de militantes do fórum e transeuntes em acenos positivos ao movimento, à espera da passagem da Tocha Olímpica pela Avenida Beira Mar.

O Coletivo LGBT dos Bancários fortaleceu o dia de luta. “Estamos aqui para cobrar do governo uma política efetiva, que realmente contenha a violência homofóbica no Espírito Santo. O preconceito com a populações LGBT não está só nos guetos e periferias, mas também nos locais de trabalho e o sistema financeiro não passa ileso nessa conta. Os bancários têm enorme dificuldade de ascender na carreira por conta de um preconceito velado nos bancos privados, por exemplo”, pontua Evelyn Flores, coordenadora do coletivo dos bancários.

bancarios-es-lgbt-coletivo-homofobia

Da esquerda para a direita, segurando o cartaz: Thiago Duda (BB), Vinícius Moreira (Caixa) e Evelyn Flores (BB). Foto: Haroldo Lima.

Tripé da Cidadania na pauta de reivindicação

Para a coordenadora do Fórum LGBT, Deborah Sabará, a conjuntura política brasileira precisa de lutas transversalizadas para evitar retrocessos nas políticas destinadas às minorias.”Precisamos da união de mulheres, negros, LGBTs e todas as populações que sofrem violência para barrar os retrocessos no governo dessa pessoa que me recuso a chamar de presidente”, afirma Sabará.

bancarios-es-lgbt-fórum

Deborah Sabará, coordenadora do Fórum Estadual LGBT do ES. Foto: Haroldo Lima.

A coordenadora destaca a inexistência das políticas quem compõem o Tripé da Cidadania, principal reivindicação do protesto, em âmbitos locais e estadual no Espírito Santo.

“Não temos Conselho LGBT no estado, nem plano estadual e municipal nas cidades, nem a coordenação para atender a população. Duvido que o governo de um partido que extinguiu o Ministério das Mulheres, da Igualdade Racial e dos Direitos Humanos dê continuidade no estado a criação da Secretaria de Direitos Humanos que esperamos tanto”, provoca a coordenadora.

Composto pelo conselho LGBT, os planos municipais e estadual para a articulação das políticas e atendimento à população e as coordenações também municipais e estadual, as políticas que compõem o tripé que dá sustentação ao movimento e suporte à comunidade.

 

Imprima
Imprimir

Comentários