Mudança no estatuto da Caixa pode acelerar privatização. Defenda a Caixa no ato desta quarta!

Uma das alterações que constam na proposta do novo estatuto é a transformação da Caixa em uma sociedade anônima (S/A). Isso quer dizer que parte das ações da instituição financeira poderá ser vendida para o capital privado, ou seja, trata-se de um processo de privatização.

Está prevista para a quarta-feira, 18, em reunião do Conselho de Administração, a votação para mudança do estatuto da Caixa. A transformação da Caixa em uma sociedade anônima (S/A) é uma das alterações que constam na proposta do novo estatuto. Isso quer dizer que parte das ações da instituição financeira poderá ser vendida para o capital privado, ou seja, trata-se de um processo de privatização.

Essa medida contraria o Estatuto das Estatais, promulgado em junho de 2016, que teve os seguintes ítens retirados após mobilização da classe trabalhadora em todo o país: o que obrigava as empresas públicas a se tornarem S/A e o que tratava da mudança de composição acionária.

“A votação da mudança do Estatuto da Caixa é o espelho do que é o Governo Temer, mais um golpe no patrimônio público e nos empregados da Caixa. Uma lei foi promulgada no ano passado e mesmo assim pretendem modificar o estatuto passando por cima da legislação”, diz a diretora do Sindicato dos Bancários/ES, Lizandre Borges.

Dia Nacional em Defesa da Caixa

Lizandre destaca a importância da participação dos empregados e empregadas da Caixa nas atividades desta quarta, 18, quando acontece Dia Nacional de Luta em defesa da Caixa e dos participantes da Funcef. O Sindicato convoca os trabalhadores e trabalhadoras para vestirem luto e pressionarem pela não inclusão da Caixa no pacote de privatizações, conforme ameaça o governo. A informação foi divulgada no portal Relatório Reservado, na semana passada.

“A informação de que poderá haver uma mudança no estatuto, transformando a Caixa numa sociedade anônima, é mais um motivo para todos aderirem à campanha em defesa da Caixa, que deve permanecer como um patrimônio público”, diz Lizandre.

A Caixa registra hoje um patrimônio líquido de R$ 63,6 bilhões e ativos totais na ordem de R$ 1,277 trilhão. Como maior banco público do país, tem função central na execução de programas sociais, no gerenciamento do FGTS e na concessão de crédito habitacional.

Tuitaço

Além da movimentação sindical, o Dia Nacional de Luta em defesa da Caixa também vai tomar conta também das redes sociais. Um tuitaço com a hashtag #DefendaACaixaVocêTambém será realizados em três horários: de 8h às 9h, das 17h às 18h e das 20h às 21h. O objetivo é mobilizar todo o país com postagens, no Twitter e no Facebook.

Funcef

Nesse dia de luta também vamos falar da Funcef. Queremos solução para o problema do contencioso, o equilíbrio dos planos, a incorporação do REB, a preservação da paridade e garantia da participação dos empregados na gestão.

Quase 8 mil participantes e assistidos da Funcef já aderiram ao abaixo-assinado eletrônico da campanha ‘Contencioso: essa dívida é da Caixa’. Essa é mais uma importante ação com o objetivo de pressionar a direção do banco a solucionar o passivo trabalhista, que já é o maior fator de deficit do fundo de pensão.

Acesse o abaixo-assinado no Avaaz.

 

Imprima
Imprimir