Nas ruas por mais direitos: Grito dos Excluídos será nesta quinta (07)

Com o tema "Por direitos e democracia, a luta é todo dia", o 23º Grito dos Excluídos 2017 será realizado nesta quinta-feira, 07, em Vitória. A concentração será às 8h30, na Praça de Itararé, de onde a marcha seguirá em caminhada até o bairro Jabour.

Com o tema “Por direitos e democracia, a luta é todo dia”, o Grito dos Excluídos 2017 chega a sua 23º edição e será realizado nesta quinta-feira, 07, a partir as 8h30, em Vitória. A atividade faz um contraponto à agenda oficial de 7 de setembro e reunirá movimentos populares e sociais, com o objetivo de alertar a sociedade para a urgência da organização popular frente à conjuntura de retrocessos e desmonte de direitos patrocinada pelo governo, instituições e pela grande mídia brasileira.

A concentração ocorrerá às 8h30, na Praça de Itararé, de onde a marcha seguirá em caminhada até o bairro Jabour – região da cidade que, assim como outros bairros periféricos, sofre diariamente com a violência contra as populações negras. Os protestos serão um grito do povo excluído por mais direitos e acontecem no mesmo dia da realização do desfile cívico de 7 de setembro, denunciando a exclusão e valorizando os sujeitos sociais.

Sindibancários/ES participou do Grito no ano passado e convoca a categoria para estar nas ruas em 2017

“O Grito dos Excluídos é um movimento de rua e este ano fará um diálogo com os bairros periféricos de Vitória, um protesto contra a retirada de direitos que atingem a todos os trabalhadores. É importante a participação dos bancários nessa atividade de resistência e luta pela manutenção de direitos trabalhistas”, convoca Fabricio Coelho, diretor do Sindibancários/ES.

O 23º Grito dos Excluídos contará com a participação das pastorais sociais da Igreja Católica; associações e sindicatos; representantes dos povos indígenas e quilombolas; movimentos de luta pela moradia e ocupações; trabalhadores do campo e da cidade, além de pescadores e moradores de comunidades atingidas pelas barragens da Samarco.

Os protestos serão contra os desmontes das reformas trabalhistas e previdência social; pelo fim da violência contra a população negra e LGBT; contra os cortes nos investimentos na produção de conhecimento no ensino público, incluindo a redução de mais de 50% nos investimentos federais destinados à Ciência, Tecnologia e Inovação. O ato também irá lembrar os dois anos do desastre socioambiental do rompimento da barragem de Fundão, em Mariana-MG, diante da recente suspensão da ação criminal pela Justiça Federal que acusa a mineradora pelo crime socioambiental que matou 19 pessoas e derramou 35 bilhões de litros de rejeitos de minério no rio Doce, poluindo 650 km entre Mariana e Regência, no litoral do Espírito Santo.

História

A proposta do Grito dos Excluídos surgiu no Brasil em 1994. O 1º Grito foi realizado em setembro de 1995, com o objetivo de aprofundar o tema da Campanha da Fraternidade do mesmo ano, “Eras tu, Senhor”, e responder aos desafios levantados na 2ª Semana Social Brasileira, cujo tema era “Brasil, alternativas e protagonistas”. Em 1999 o Grito rompeu fronteiras e estendeu-se para as Américas. O Grito dos Excluídos é uma manifestação popular carregada de simbolismo, sempre aberto e plural, com participação de grupos políticos e culturais, entidades, igrejas e movimentos sociais comprometidos com as causas dos excluídos.

Imprima
Imprimir