Negociação da minuta específica começa sem proposta do Santander

A reunião aconteceu em São Paulo no último dia 19 maio. As reivindicações foram entregues ao banco no dia 12, após aprovação nas assembleias de base.

Na primeira reunião de negociação da minuta específica o Santander não apresentou propostas à Comissão de Organização dos Empregados do Banco (COE). A reunião aconteceu em São Paulo no último dia 19 maio. As reivindicações foram entregues ao banco no dia 12, após aprovação nas assembleias de base.

Entre as reivindicações da minuta específica, estão a garantia de emprego, fim do banco de horas, aumento do patamar mínimo da PPRS, melhorias nos programas de retorno ao trabalho após licença médica, administração dos planos de benefícios pelo Banesprev. Os representantes dos trabalhadores também reivindicam a inclusão no acordo aditivo de cláusula específica que estabeleça a discussão da cláusula 57º da CCT da categoria, sobre o Programa de Desenvolvimento Organizacional para Melhoria Contínua das Relações de Trabalho.

“Estamos no início das negociações da nossa companha salarial. A perspectiva é que tenhamos um duro embate com o banco. Precisamos estar unidos e organizados fortalecendo a luta não só dos bancários do Santander, mas de toda a categoria para avançar nas negociações específicas”, avalia Jonathas Corrêa.

Na reunião, o COE ressaltou que o Santander está demitindo, e os principais alvos são funcionários com histórico de adoecimento e com mais tempo de casa, portanto, salários mais altos.  Ainda foi destacado que o Santander não demite na Espanha, seu país de origem.

Para os bancários presentes na reunião, a melhoria das condições de trabalho passa por mudanças na forma como são determinadas e cobradas as metas. Os dirigentes deram diversos exemplos do que precisa ser revisto. Segundo eles é preciso que a meta contratada para o mês possa de fato ser cumprida até o final do mês e não nos primeiros 10 dias, como costuma ocorrer no banco. Outro ponto reivindicado é o relacionamento proporcional da meta ao tamanho da agência e sua localização e, em caso de redução no número de funcionários na agência, uma redução proporcional das metas.

A pauta da minuta foi debatida e definida durante Encontro Nacional dos Funcionários do Santander, que ocorreu durante dois dias, 12 e 13 e abril, na capital paulista, e aprovada em assembleias nos sindicatos. No Espírito Santo, a assembleia ocorreu no dia 10 deste mês.

Conheça as principais reivindicações da minuta 2016/2017:

Reivindicações gerais

Garantia de emprego

Auxílio estudo – 2000 bolsas para cursos de graduação e 500 para pós-graduação;

Isenção de tarifas bancárias para os funcionários;

Auxílio moradia e linha de crédito com taxa de 12% aa + TR em financiamento;

Auxílio academia para todos os empregados com reembolso de 70% do valor limitado a R$ 130,00;

Adiantamento por férias = 1 salário para pagamento em 10 vezes sem encargos financeiros;

Saúde

Política de prevenção à saúde e condições de trabalho;

Programa de retorno ao banco para os trabalhadores afastados por doença;

Manutenção integral dos vales alimentação e refeição para trabalhadores afastados por doença;

Condições de trabalho

Garantia de, no mínimo, um administrador e um escriturário caixa por ponto de atendimento;

Fim das metas para área operacional

Fim da compensação de hora extra

Imprima
Imprimir

Comentários