Negociações do Bandes não avançam e trabalhadores devem aderir à greve

Nesta quinta-feira, 1º, aconteceu a segunda rodada de negociação com o Bandes, dando seguimento à discussão das reivindicações específicas dos empregados do banco. A comissão de negociação avançou até a 20ª cláusula, mas não foi apresentada resposta concreta sobre as pautas em debate. Em relação às cláusulas econômicas, o Bandes se comprometeu apenas a seguir […]

Nesta quinta-feira, 1º, aconteceu a segunda rodada de negociação com o Bandes, dando seguimento à discussão das reivindicações específicas dos empregados do banco. A comissão de negociação avançou até a 20ª cláusula, mas não foi apresentada resposta concreta sobre as pautas em debate. Em relação às cláusulas econômicas, o Bandes se comprometeu apenas a seguir o negociado com a Fenaban.

A reunião aconteceu no mesmo dia em que os bancários decidiram por unanimidade aderir à greve nacional da categoria, que terá início na próxima terça-feira, 06. Na manhã de hoje, o banco enviou comunicado a todos os empregados pressionando a não adesão ao movimento paredista. Para o Sindibancários/ES, a ação tenta intimidar os bancários e limitar o direito de greve, o que pode ser configurado como prática antissindical.

Ivaldo Albano, bancário do Bandes e diretor do Sindicato, alerta que a greve é um importante instrumento de mobilização da categoria, e só unificados os bancários conseguirão avançar nas conquistas almejadas. “Os bancários do Bandes pertencem à categoria e sua participação no movimento de greve é fundamental para fortalecer nossa luta estadual e nacionalmente. Agora é hora de mostrar a nossa força, nos unir aos colegas de profissão para lutar pela manutenção dos nossos direitos e por novas conquistas”, defende Ivaldo.

Imprima
Imprimir

Comentários