Nesta quarta é dia de vestir branco em defesa do Saúde Caixa

O Dia de Luta é parte das ações de intensificação da campanha “Saúde Caixa: eu defendo”

Os empregados da Caixa vestirão branco na nesta quarta-feira (20) para mostrar a união da categoria na defesa do plano de saúde do pessoal da Caixa e protestar contra a alteração no modelo de custeio do Saúde Caixa.

Desde 2004, a Caixa paga 70% das despesas assistenciais e os usuários os outros 30%. As resoluções publicadas pelo governo e a recente alteração no estatuto da Caixa estipulam o limite correspondente a 6,5% da folha de pagamento para a participação do banco nessas despesas, à revelia do que prevê o Acordo Coletivo de Trabalho (ACT).

Como a inflação médica aumenta mais rapidamente que os índices de correção dos salários e benefícios previdenciários, e como a Caixa vem reduzindo seu quadro de pessoal, em breve, o novo limite estipulado será atingido e os custos excedentes recairão sobre os usuários.

Por isso faremos nesta quarta um Dia Nacional de Luta, como parte das ações de intensificação da campanha “Saúde Caixa: eu defendo”, definida pelas entidades representativas do pessoal da Caixa durante o mês de junho. A proposta é ampliar a campanha até a primeira semana de julho, quando o Saúde Caixa completa 14 anos.

Todos por tudo
O Saúde Caixa acumulou superávit que chegava a R$ 670 milhões em 2016. Dados mais recentes permanecem restritos à gestão do banco, que não deu ainda a devida transparência ao relatório atuarial de 2017. “O sucateamento do Saúde Caixa é parte do desmonte do banco e das medidas de retirada de direitos que vêm sendo implementadas pelo governo e pela direção da CEF. Precisamos ampliar nossa mobilização para garantir que o nosso plano de saúde, importante conquista dos empregados, seja preservado”, afirma Rita Lima, diretora do Sindibancários/ES.

Imprima
Imprimir