Nos 155 anos da Caixa, trabalhadores se mobilizam para que o banco permaneça 100% público

A Caixa completa 155 anos de história nesta terça-feira, 12. Desde então, ela se tornou um instrumento de inclusão social com a oferta de programas sociais executados por meio dessa instituição financeira, como os de habitação e distribuição de renda. Mantida como uma empresa 100% pública desde sua origem, diversas foram as tentativas de entregar […]

A Caixa completa 155 anos de história nesta terça-feira, 12. Desde então, ela se tornou um instrumento de inclusão social com a oferta de programas sociais executados por meio dessa instituição financeira, como os de habitação e distribuição de renda. Mantida como uma empresa 100% pública desde sua origem, diversas foram as tentativas de entregar a Caixa para o setor privado. Atualmente, uma das ameaças a esse banco é o PLS 555.

Esse projeto de lei está tramitando no Senado, prevê a abertura de capital de empresas 100% públicas, como a Caixa, e amplia a privatização das empresas que já possuem capital misto. Trata-se de uma junção do PLS 167, do senador Tasso Jereissati; e do PLS 343, do também senador Aécio Neves, ambos do PSDB, e propõe a transformação das empresas públicas em sociedades anônimas (SA’s). Isso pode enfraquecer o papel social da Caixa, já que permite a entrada de acionistas que têm como objetivo exclusivo o lucro.

 

A diretora do Sindicato dos Bancários/ES, Renata Garcia, destaca que os trabalhadores devem se mobilizar contra o projeto de lei. “O ano de começou com uma ameaça de abertura de capital que partiu do executivo e terminou com outra ameaça nesse mesmo sentido, dessa vez, por parte do legislativo, que é o PLS 555. Portanto, o momento é de apreensão, mas ao mesmo tempo temos que nos espelhar em lutas anteriores, como as que impediram as tentativas de privatização no governo FHC, e resgatar toda essa garra que tanto contribuiu para que a Caixa chegasse aos 155 anos como empresa 100% pública”, diz Renata.

Precarização do Trabalho

Não é somente o PLS 555 que pode enfraquecer o papel social da Caixa enquanto banco voltado para as demandas populares, mas também a precarização do trabalho em virtude da falta de funcionários. “A Caixa tem um papel histórico que está sendo prejudicado pela falta de funcionários, que impede um atendimento de qualidade para os clientes e a ampliação de programas sociais. Para que ela continue a cumprir seu papel social é preciso se manter firme não somente na luta contra a privatização, mas também por mais empregados para a Caixa”, diz Lizandre.

ação sindical mais empregados

Manifestação pela contratação de mais empregados para a Caixa

 

Segundo dados da Contraf, em 2015, ao completar 154 anos a Caixa tinha um pouco mais 100 mil trabalhadores, sendo que agora são menos de 98 mil em virtude da saída de cerca de 3 mil em fevereiro e abril por causa do Plano de Apoio à Aposentadoria (PAA). Enquanto isso, ainda de acordo com dados da Contraf, 30 mil aprovados no concurso de 2014 aguardam convocação.

Imprima
Imprimir

Comentários