Orientações para tesoureiros e supervisores da Caixa durante a greve

Em plenária realizada pelo Sindicato dos Bancários/ES, no último sábado, 14, os tesoureiros e supervisores de retaguarda da Caixa decidiram aderir à greve da categoria, que terá início a partir do dia 19. A decisão foi unânime entre os cerca de 20 profissionais que compareceram à reunião. Os tesoureiros e supervisores questionaram as condições de […]

Em plenária realizada pelo Sindicato dos Bancários/ES, no último sábado, 14, os tesoureiros e supervisores de retaguarda da Caixa decidiram aderir à greve da categoria, que terá início a partir do dia 19. A decisão foi unânime entre os cerca de 20 profissionais que compareceram à reunião.

Os tesoureiros e supervisores questionaram as condições de trabalho nos seus respectivos setores e cobraram medidas urgentes da direção do banco. Entre os problemas apontados se destacam a carência de funcionários, a sobrecarga de tarefas, a imposição de desvio de função, a discriminação no Processo Seletivo Interno, além da pressão e do assédio moral para o cumprimento das tarefas inerentes ao exercício da função.

Os trabalhadores aprovaram ainda a elaboração de uma carta a ser encaminhada à Comissão de Empresa e à Presidência da Caixa com as suas principais reivindicações. O documento será enviado também ao conjunto dos tesoureiros e supervisores de outros estados, para que estes tomem conhecimento do processo de organização local.

Orientações

Como orientação para adesão à greve, os tesoureiros deverão providenciar a realização de TVV do numerário existente na unidade (que inclui cofre, casa forte, cofre eletrônico e ATM/CD) até a quarta-feira, 18, entregando em seguida as chaves dos cofres para o gerente geral da agência. Além disso, as máquinas de autoatendimento devem ser abastecidas respeitando o limite de até 50% a mais do encaixe da agência, conforme orientações do manual PC019, item 3.49.

Principais reivindicações dos tesoureiros  e supervisores de retaguarda

  • Melhoria no espaço físico das tesourarias e retaguardas;
  • Revisão da estrutura de pessoal, com no mínimo dois tesoureiros e dois técnicos bancários em cada Reret;
  • Aumento na segurança da agência, sobretudo nos horários de saída dos tesoureiros e supervisores, quando a unidade já está fechada para o público;
  • Fim da discriminação no Processo Seletivo Interno (PSI);
  • Perfil único na rede, para facilitar as substituições em outras agências;
  • Cumprimento do Acordo Coletivo referente aos cursos da Universidade Caixa, disponibilizando local adequado e horário dentro da jornada para a realização dos cursos.
Imprima
Imprimir