Pauta de reivindicações dos bancários será entregue nesta terça-feira

Na Campanha Salarial 2015, bancários e bancárias vão lutar pelo fim do assédio moral, combate às metas, fim das demissões, além de valorização salarial. A minuta com a pauta das reivindicações será entregue à Fenaban nesta terça-feira (11), às 09 horas, em São Paulo. Aprovada durante a 17ª Conferência Nacional dos Bancários, nos dias 31 […]

Na Campanha Salarial 2015, bancários e bancárias vão lutar pelo fim do assédio moral, combate às metas, fim das demissões, além de valorização salarial. A minuta com a pauta das reivindicações será entregue à Fenaban nesta terça-feira (11), às 09 horas, em São Paulo. Aprovada durante a 17ª Conferência Nacional dos Bancários, nos dias 31 de julho e 02 de agosto, a minuta também traz o fim das terceirizações como umas das principais reivindicações. Na mesma data, serão encaminhadas também as reivindicações específicas dos bancários do Banco do Brasil e da Caixa.

Os bancários também reivindicam reajuste de 16%, valorização do piso salarial no valor do salário mínimo calculado pelo Dieese (R$ 3299,66 em junho), PLR de três salários mais R$ 7.246,82 e combate às metas. Os bancários capixabas aprovaram a minuta de reivindicações na assembleia geral realizada no último dia 06 de agosto.

“Vamos defender esses reajustes nas negociações e não há motivo para os bancos não atenderem nossa reivindicação, já que continuam alcançando lucros exorbitantes, mesmo em um cenário de crise. Além disso, nossa luta será por melhores condições de trabalho, exigindo o fim das metas e das demissões. Convocamos todos os bancários e bancárias a participarem ativamente da Campanha, pois somente com união e mobilização da categoria vamos garantir novas conquistas”, enfatiza o coordenador geral do Sindibancários/ES, Jessé Alvarenga.

Para os empregados da Caixa, as principais reivindicações são a melhoria das condições de trabalho, mais contratações, fim do GDP (Gestão de Desempenho de Pessoas), combate às metas abusivas e defesa da isonomia. A mobilização pelo fim do GDP foi um dos consensos do Conecef, motivo de reclamações em todo o País, principalmente, em razão de metas excessivas. 

Entre as demandas específicas do Banco do Brasil estão a luta por melhorias no PCR, mais contratações, melhores condições de trabalho e fim do assédio moral. Também foi aprovada a manutenção do princípio de solidariedade na Cassi à inclusão de funcionários vindos de bancos incorporados pelo BB.

As reivindicações específicas da Caixa foram definidas durante o Congresso Nacional dos Empregados da Caixa Federal (Conecef), entre 12 e 14 de junho, e a do Banco do Brasil no 26º. Congresso Nacional dos Funcionários do BB, na mesma data. Os dois encontros também ocorreram em São Paulo.

 

Calendário Estadual

Nesta quarta-feira, 12, os bancários e bancárias do Banestes se reúnem em assembleia específica para votar a minuta estadual, que será entregue ao banco no dia 14 de agosto, quando acontece o lançamento oficial da Campanha Salarial no Estado.

Confira as principais reivindicações da Campanha Salarial 2015

Remuneração

  • Reajuste salarial de 16% (incluindo reposição da inflação mais 5,7% de aumento real)
  • PLR: 3 salários mais R$7.246,82 
  • Piso do Diesse: R$3.299,66 (junho/2015)
  • Vales alimentação, refeição, 13ª cesta e auxílio-creche/babá: R$788,00 ao mês para cada (salário mínimo nacional).
  • Melhores condições de trabalho com o fim das metas abusivas e do assédio moral que adoecem os bancários.

Emprego

  • Fim das demissões, mais contratações, fim da rotatividade e combate às terceirizações diante dos riscos de aprovação do PLC 30/15 no Senado Federal, além da ratificação da Convenção 158 da OIT, que coíbe dispensas imotivadas.
  • Plano de Cargos, Carreiras e Salários (PCCS) para todos os bancários.
  • Auxílio-educação: pagamento para graduação e pós.

Segurança

  • Prevenção contra assaltos e sequestros: permanência de dois vigilantes por andar nas agências e pontos de serviços bancários, conforme legislação. Instalação de portas giratórias com detector de metais na entrada das áreas de autoatendimento e biombos nos caixas. Abertura e fechamento remoto das agências, fim da guarda das chaves por funcionários.

Igualdade de oportunidades

  • Fim às discriminações nos salários e na ascensão profissional de mulheres, negros, gays, lésbicas, transsexuais e pessoas com deficiência (PCDs).

Com informações da Fenae e Contraf.

Imprima
Imprimir