Bancários levam Campanha Salarial para as ruas no Pedalaço Volta à Ilha

  Bancários e bancárias capixabas saíram às ruas na manhã deste domingo, 21, no grande Pedalaço Volta à Ilha.  Desde a concentração, no Píer de Iemanjá, na Praia de Camburi, o clima era de diversão e muita integração entra a categoria e seus familiares e amigos, que também participaram do evento. O Pedalaço foi mais […]

Pedalaco21deagosto

(Fotos: Fábio Vicentini)

 

Bancários e bancárias capixabas saíram às ruas na manhã deste domingo, 21, no grande Pedalaço Volta à Ilha.  Desde a concentração, no Píer de Iemanjá, na Praia de Camburi, o clima era de diversão e muita integração entra a categoria e seus familiares e amigos, que também participaram do evento. O Pedalaço foi mais uma atividade da Campanha Salarial dos Bancários 2016 e destacou a luta por melhores condições de trabalho e saúde como uma das principais reivindicações da categoria.

Confira a galeria de fotos

De ciclistas praticantes a quem pedala raras vezes, todos entraram no clima da prática do esporte e da Campanha Salarial 2016. Na volta à ilha, os bancários percorreram 30 km e conheceram as belezas do entorno da capital. No percurso menor, de 9 km, os ciclistas iniciantes e crianças pedalaram na parte continental, percorrendo o entorno dos bairros de Jardim da Penha, Mata da Praia, República e Goiabeiras.

“O Pedalaço foi uma das atividades da Campanha Salarial para envolver ainda mais os bancários e bancárias, e fortalecer a união da categoria para enfrentar os desafios que teremos  nesta Campanha. Além disso, foi uma forma de proporcionar à categoria um momento de prática de esporte, de lazer, para aliviar o estresse que os bancários vivem nas agências. O momento foi confraternização dos bancários, dos seus familiares, amigos junto com o Sindicato”, enfatizou o diretor do Sindibancários/ES, Henrique Esdras.

Andre-Residente- Zanon-bancarioBBAlém de uma oportunidade para praticar esporte, o bancário do Banco do Brasil, André Residente Zanon, aproveitou o Pedalaço para dialogar com os colegas bancários sobre a Campanha deste ano. “Foi uma forma de prestigiar a categoria e praticar um esporte que é interessante demais. Nesse ano, teremos uma campanha mais dura, devido a todo processo político e econômico que estamos vivendo. Mas sem a nossa união, sem a força da nossa categoria, não vamos conseguir avançar nas conquistas. Acho que o Pedalaço é mais um vem para luta, vamos fazer junto. É uma oportunidade para chamar alguém que está fora e enturmar a categoria, juntar as pessoas por uma causa que é nossa. O Pedalaço foi algo legal que o Sindicato fez”, destacou o bancário.

Integração e esporte

LeticiaLamberteFábio Barbosa

Amigos e familiares de bancários também foram às ruas no Pedalaço, como o casal Letícia Lambert, que é publicitária, e Fábio Barbosa Pinto, consultor técnico em mecânica. “Meu tio é bancário e nos convidou. Nós adoramos pedalar e eu nunca dei a volta na ilha. Esse também é um momento de integração, uma forma de conhecer outras pessoas”, contou a publicitária Letícia.

Alberson-daSilva-MirandaeCamilaBaiao

Bancário do Banestes há oito anos, Alberson da Silva Miranda, levou a namorada, Camila Baião, para o evento. “Achei essa iniciativa muito legal, deu bastante gente. Acho que esse é o pontapé para eu colocar meu corpo para se movimentar. O Pedalaço vai nos  ajudar a gente a sair do sedentarismo”, disse Miranda.

grupoDeAmigosDoBanestes

Foi ao lado de um grupo de amigos do Banestes, que o bancário aposentado do banco, Francisco Carlos da Silva Resende, deu a volta à ilha. “Costumo pedalar sempre, e correr também. Está muito legal o Pedalaço e é muito bom rever os amigos, além de praticar  esporte”, contou animado. Para a amiga  de Resende, a bancária Carla Barreto, essa foi a oportunidade de conhecer o entorno da ilha de Vitória. “Pedalo sempre e gosto muito. Aproveitei essa oportunidade porque nunca fiz esse percurso. Achei muito legal essa iniciativa do Sindicato”, contou Carla.

Serviço e apoio

Para garantir a segurança dos ciclistas o Sindicato , houve sinalização do percurso em pontos estratégicos. Uma ambulância, alugada pelo Sindicato, também ficou à disposição dos ciclistas, além de um carro de apoio, com um profissional para realizar pequenos reparos durante o percurso.

Imprima
Imprimir