Pesquisa do Dieese: em 2013 o lucro dos bancos aumentou, mas postos de trabalho diminuíram

Nesta semana o Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socioeconômicos (Dieese) divulgou o resultado da pesquisa Desempenho dos Bancos em 2013. De acordo com o estudo, os bancos tiveram aumento nos lucros. Porém, o número de postos de trabalho diminuiu cerca de 1,5%, passando de 477.345 para 470.034, com redução de 7311 vagas. O banco […]

Nesta semana o Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socioeconômicos (Dieese) divulgou o resultado da pesquisa Desempenho dos Bancos em 2013. De acordo com o estudo, os bancos tiveram aumento nos lucros. Porém, o número de postos de trabalho diminuiu cerca de 1,5%, passando de 477.345 para 470.034, com redução de 7311 vagas.

O banco que mais lucrou no ano passado foi o Itaú, cujo lucro líquido foi de R$ 15,8 bilhões. Esse valor corresponde a um aumento de 12,8% se comparado a 2012. Trata-se do maior lucro obtido por um banco na história do sistema financeiro nacional. É a segunda vez que o Itaú atinge esse recorde. Entre os seis maiores bancos do país, o segundo colocado no que diz respeito ao lucro foi o Banco do Brasil (R$ 15,7 bilhões). O ranking segue com o Bradesco (R$ 12,2 bilhões), Caixa Econômica Federal (R$ 6,7 bilhões), Santander (R$ 5,7 bilhões) e HSBC (R$ 1,2 bilhões).

“Infelizmente esses dados mostram que há concentração da riqueza nas mãos de poucos, comprovando o resultado de uma pesquisa feita pelo IPEA, na qual evidencia-se que, apesar de tanta pobreza e miséria, o Brasil é o 12º em número de bilionários. Certamente, pelos altos lucros obtidos, entre esses bilionários estão os banqueiros”, afirma o coordenador geral do Sindicato dos Bancários/ES, Carlos Pereira de Araújo, o Carlão.

Carlão destaca, ainda, que o lucro dos bancos é inversamente proporcional à qualidade de vida dos bancários. “Os trabalhadores convivem com gestões autoritárias, assédio moral e demissões”, diz o coordenador geral do Sindicato. Diante dessa situação, Carlão ressalta a importância da defesa da estatização do serviço financeiro, um dos eixos da Campanha Salarial 2014 aprovados na última Conferência Estadual dos Bancários. “Tem que haver a estatização sobre controle social para que de fato haja democratização do crédito na perspectiva da distribuição de renda e qualidade de vida para os brasileiros”, defende o sindicalista.

Mesmo atingindo o maior lucro obtido por um banco na história do sistema financeiro nacional, o Itaú foi uma das instituições bancárias que mais reduziu postos de trabalho (-3%), perdendo somente para o Santander (-8,1%). Os demais bancos do ranking são Bradesco (-2,8%), HSBC (-2,7%) e Banco do Brasil (-1,7%). Segundo o estudo do Dieese, a Caixa aumentou em 5,7% o número de postos de trabalho.

“Apesar do aumento, o número de pessoas contratadas pela Caixa ainda não atende a necessidades do banco, pois ele é responsável por pagamentos de diversos benefícios sociais, como o Bolsa Família, e por projetos do Governo Federal, como Minha Casa Minha Vida, fazendo com que os trabalhadores fiquem sobrecarregados por causa da falta de funcionários para atender a demanda. Além disso, a expansão da rede vem acompanhada de agências com quantidade reduzida de funcionários”, explica a diretora do Sindicato, Lizandre Borges.

Imprima
Imprimir