PF indicia Vale, Samarco e executivos por crime ambiental

Samarco, Vale, VogBR e mais sete executivos e técnicos foram indiciados pela Polícia Federal por crime ambiental decorrente do rompimento da barragem de Fundão, em Mariana (MG) , em 5 de novembro de 2015. Entre os indiciados, está o diretor-presidente da Samarco, Ricardo Vescovi. As empresas, os dirigentes e os técnicos foram indiciados com base […]

Samarco, Vale, VogBR e mais sete executivos e técnicos foram indiciados pela Polícia Federal por crime ambiental decorrente do rompimento da barragem de Fundão, em Mariana (MG) , em 5 de novembro de 2015. Entre os indiciados, está o diretor-presidente da Samarco, Ricardo Vescovi.

As empresas, os dirigentes e os técnicos foram indiciados com base do artigo 54 da Lei de Crimes Ambientais, acusados de provocar poluição em níveis que “resultem ou possam resultar em danos à saúde humana, ou que provoquem a mortandade de animais ou a destruição significativa da flora”.

Segundo a Polícia Federal as investigações continuam e novos indiciamentos podem ocorrer. O órgão esclareceu que sua atuação no caso se deve a sua atribuição para investigar crimes ambientais, tendo os dejetos atingido o leito do Rio Doce, que é bem da União. Já a investigação das mortes é de responsabilidade da Polícia Civil de Minas, e está na fase de verificação de laudos para conclusão do inquérito. A tragédia deixou 17 mortos e dois desaparecidos.

Além do diretor-presidente da Samarco, foram indiciados o coordenador de monitoramento das barragens, a gerente de geotecnia, o gerente-geral de projetos e responsável técnico pela barragem Fundão, o gerente geral de operações, o diretor de operações e o engenheiro responsável pela Declaração de Estabilidade da barragem Fundão em 2015 da empresa que atestou a estabilidade das barragens.

Com informações do Gazeta Online

Imprima
Imprimir

Comentários