Plenária do Banestes discute Plano Salto e bancários cobram abertura de negociação

Os bancários do Banestes lotaram o Centro Sindical da categoria nesta quinta-feira, 16, durante a Plenária de discussão sobre o Plano Salto promovida pelo Sindicato/ES. Uma paralisação foi marcada para esta sexta-feira, às 8 horas , com o objetivo de cobrar a abertura de negociação com o Governo do Estado para reformulação do Plano.  Os […]

Os bancários do Banestes lotaram o Centro Sindical da categoria nesta quinta-feira, 16, durante a Plenária de discussão sobre o Plano Salto promovida pelo Sindicato/ES. Uma paralisação foi marcada para esta sexta-feira, às 8 horas , com o objetivo de cobrar a abertura de negociação com o Governo do Estado para reformulação do Plano. 

Os bancários criticaram a ausência de diálogo por parte do banco e a falta de informações detalhadas sobre o plano. 

“Até hoje nós não conhecemos efetivamente o plano. Nos foi apresentado apenas um esboço, com elementos mínimos que não esclarecem, na totalidade, no que consistirá a proposta”, afirma Carlos Pereira de Araújo (Carlão), coordenador geral do Sindicato dos Bancários/ES.

De acordo com Carlão, a única coisa que está clara no esboço é a retirada de direitos. “O plano é insuficiente, ele contempla apenas uma minoria dos empregados e é omisso para ampla maioria do cargos”.

Outra crítica diz respeito aos critério de evolução na carreira. ” Do ponto de vista do mérito, o Salto aponta uma perspectiva de crescimento absolutamente subjetiva, que está condicionada ao resultado da avaliação do gestor, à lucratividade do banco e à provisão de recursos. Ou seja, não há perspectiva garantida de carreira”, diz Carlão.

O advogado Rogério Ferreira Borges, responsável pela assessoria jurídica do Sindicato, destacou outros aspectos ilegais da proposta e afirmou que “o Sindicato está atento a essas questões e que irá dispor de todos os recursos legais para recorrer na Justiça do Trabalho de qualquer tentativa de retirada de direitos”.

Sindicato cobra negociação

O Coordenador geral do Sindicato resgatou as inúmeras tentativas de diálogo para participar da formulação do Plano e criticou a postura antidemocrática da instituição financeira. “A reivindicação da categoria era de que o Plano fosse construído conjuntamente e pudesse contemplar a todos. O Sindicato propôs a formação de uma comissão paritária de formulação do Plano, mas o banco recusou a proposta e insiste na elaboração unilateral”.

Na última semana, enquanto coordenação do Comitê Estadual em defesa do Banestes Público e Estadual, o Sindicato protocolou ofício solicitando uma audiência com o Governador Renato Casagrande para reabrir o processo de negociação com o banco. “O Governador assumiu um compromisso de campanha de retomar a negociação com os trabalhadores e esperamos que ele seja cumprido. A expectativa dos trabalhadores é que o plano contemple as reivindicações da categoria e valorize o funcionalismo do banco”.

Deliberações

Como encaminhamento da plenária, os bancários aprovaram a criação de uma comissão coordenada pelo Sindicato que ficará responsável pelas negociações com o Governo do Estado e com a diretoria do banco. Uma manifestação simbólica ficou agendada para a próxima segunda-feira, quando todos os bancários deverão vestir preto para demonstrar a insatisfação da categoria.

A plenária aprovou ainda que o Sindicato procure todos os deputados estaduais, na função de representantes do povo capixaba, no sentido de cobrar a abertura das negociações com o Governo.

“Precisamos mostrar a nossa indignação e exigir respeito. Não podemos deixar que o banco imponha um plano que traga prejuízos aos trabalhadores. Todas as nossas conquistas vieram da luta, e precisamos continuar resistindo”, afirma Jonas Freire, bancário do Banestes e diretor do Sindicato/ES.

Imprima
Imprimir