Presidente do Banestes cancela reunião com o Sindicato

Desde janeiro, o Sindicato tenta uma agenda com o presidente do Banestes Michel Sarkis parta discutir as medidas de retirada de direitos que vem sendo adotadas pelo Banco. Entretanto, ele se recusa a receber os diretores do Sindibancários, tanto que já desmarcou a reunião várias vezes.

O presidente do Banestes, Michel Sarkis, comunicou na manhã desta terça-feira, 06, o cancelamento da reunião com o Sindibancários/ES, em mais um ato de desrespeito aos empregados. Desde janeiro, o Sindicato tenta uma agenda com o presidente do banco parta discutir as medidas de retirada de direitos que vem sendo adotadas pelo Banestes. Sem nenhum diálogo com a categoria, Sarkis segue à risca a cartilha do governador Paulo Hartung de tentativa de desmonte do Banestes.

Corte de ponto dos empregados, demissões sem justa causa, suspensão do repasse da Banescaixa e das negociações previstas no Acordo Coletivo são os principais ataques da direção do Banestes aos empregados. Mas, um dos mais recentes e graves ataques aos banestianos foi o descumprimento do pagamento da Remuneração Estratégica Variável (REV). Foi após publicação de matéria do Sindibancários/ES denunciando a mentira propagada por meio de comunicado pela direção do banco sobre a REV, que Sarkis desmarcou a reunião com o Sindicato.

“O Banestes reafirmou por meio de comunicado oficial que cumpriria o acordo no pagamento da REV. Mas a direção não honrou sequer o que anunciou no comunicado e pagou a REV de forma diferente do que foi acordado na nossa última campanha. E agora, para nossa surpresa, o presidente Sarkis toma mais uma atitude de desrespeito aos empregados e cancela a reunião que reivindicamos há dois meses. Esse presidente mentiu em um comunicado oficial, descumpriu o Acordo Coletivo e, agora, em represália ao posicionamento do Sindicato, ele cancela a reunião. Sarkis é o legítimo representante de Hartung, não tem compromisso com os empregados e com o banco dos capixabas”, enfatiza o coordenador geral do Sindibancários/ES, Jonas Freire.

Mobilização

Desde janeiro, o Sindicato tenta agendar uma reunião com a direção do Banestes. Mas o banco adiou o encontro por diversas vezes. Para pressionar o banco a dialogar com os empregados, o Sindibancários/ES realizou diversas ações e encaminhou ofícios ao banco. Foi após a paralisação do Centro de Processamento de Dados (CPD), em 18 de dezembro, que o Sindicato conseguiu iniciar o diálogo com o banco.

No entanto, o Banestes puniu os empregados e cortou o ponto dos bancários referente às horas paradas em função da manifestação.

“Nem os bancos privados tomam medidas como essa. A forma de tratamento que a gestão de Sarkis, sob o comando de Hartung, dá aos empregados é antidemocrática e autoritária”, pontua Freire.

Imprima
Imprimir