Projeto de lei municipal obriga instalação de porta giratória nas entradas das áreas de autoatendimento é vetado pelo executivo

O Projeto de Lei 213/2014, que tem como objetivo obrigar as agências bancárias a instalar porta giratória nas entradas das áreas de autoatendimento, foi vetado pelo prefeito Luciano Rezende. De autoria do vereador Marcelão Freitas (PT), o projeto de lei prevê que as áreas de autoatendimento tenham controles de metal nas portas giratórias eletrônicas de […]

O Projeto de Lei 213/2014, que tem como objetivo obrigar as agências bancárias a instalar porta giratória nas entradas das áreas de autoatendimento, foi vetado pelo prefeito Luciano Rezende. De autoria do vereador Marcelão Freitas (PT), o projeto de lei prevê que as áreas de autoatendimento tenham controles de metal nas portas giratórias eletrônicas de segurança individualizados, desligados após o fechamento da agência, quando estiver funcionando somente o serviço de autoatendimento.

Em caso de descumprimento da lei, o projeto prevê multa de R$ 5 mil, sendo aplicada em dobro se houver reincidência. A justificativa para o projeto está no aumento dos crimes e golpes cometidos contra clientes nas áreas de autoatendimento, cabendo ao banco proteger o acesso com o uso de porta giratória detectora de metais pelo fato do autoatendimento compreender o espaço físico das agências e da instituição financeira estimular sua utilização.

O coordenador geral do Sindicato dos Bancários, Carlos Pereira de Araújo, o Carlão, acredita que o projeto é importante, mas precisa de ajustes. “Caso seja apresentado novamente, é necessário garantir no projeto que os controles de metal das portas giratórias não sejam desligados após o fechamento da agência, e sim, enquanto tiver clientes utilizando. Elas só podem ser desligadas depois que a área de autoatendimento não estiver mais aberta ao público. Assim, garante-se uma segurança maior para os trabalhadores e clientes”, afirma Carlão.

Imprima
Imprimir