Proposta do BNB não atende às necessidades dos trabalhadores

O Comando Nacional dos Funcionários do BNB e o Comando Nacional dos Bancários se reuniram com a direção do banco na segunda-feira,28, e deixaram claro que a proposta da instituição financeira não atende às necessidades dos trabalhadores. Segundo o BNB, a proposta do banco é a mesma que foi apresentada pela Fenaban: 5,5% de reajuste […]

O Comando Nacional dos Funcionários do BNB e o Comando Nacional dos Bancários se reuniram com a direção do banco na segunda-feira,28, e deixaram claro que a proposta da instituição financeira não atende às necessidades dos trabalhadores. Segundo o BNB, a proposta do banco é a mesma que foi apresentada pela Fenaban: 5,5% de reajuste salarial e abono de R$ 2.500,00 não incorporado ao salário.

“A resposta dada pelo BNB é um desrespeito aos bancários. O reajuste não cobre nem a inflação do período. Por isso, precisamos fortalecer o movimento de greve. O Sindibancários convoca todos os trabalhadores para participar das assembleias, que acontecerão em Vitória, Colatina, Cachoeiro e Linhares, facilitando a participação de bancários de todo o Estado”, afirma o diretor do Sindicato dos Bancários/ES, João Bosco.

Além disso, o BNB afirmou que a reivindicação da realização de eleição para representante dos funcionários no Conselho de Administração do Banco (Caref) será encaminhado somente durante a vigência do próximo acordo coletivo. Também disse que vai facultar, a partir da próxima folha de pagamento, a suspensão das parcelas de crédito direto com o banco nos meses de outubro, novembro e dezembro.

Outras propostas do BNB são a elaboração de um calendário para definir o acordo específico sobre ponto eletrônico, inserção do tema “Ética e Assédio” nos Cursos de Integração, pagamento do 13º salário, a partir de 2016, com repercussão de itens eventuais ao longo do ano (tais como horas extras, substituições, etc) e deliberação para que sejam feitos acertos no dia 30 de cada mês para que o funcionário receba todas as verbas trabalhadas no mesmo mês e não na folha seguinte, como é feito atualmente.

Foto: Seeb Ceará

Com informações da Contraf/CUT

Imprima
Imprimir