Reestruturação do BB será debatida em plenária nesta quinta

Sindicato deve apresentar uma avaliação política e jurídica sobre os descomissionamentos, fechamentos de agências e sobre Plano de demissão Voluntária em curso. Atividade será às 18h30, no auditório do Sindicato dos Bancários

Depois de um dia de paralisação nacional, os bancários do BB se reúnem em plenária nesta quinta-feira, 1º, para discutir o projeto de reestruturação do banco. A atividade, que havia sido marcada para o Centro Sindical, foi reagendada para o auditório do Sindicato dos Bancários, no Centro de Vitória, às 18h30.

Na plenária, o Sindicato dos Bancários deve apresentar uma avaliação política e jurídica sobre os descomissionamentos, fechamentos de agências e sobre Plano de demissão Voluntária em curso.

A reestruturação pretende cortar 9 mil postos de trabalho, demitir 18 mil funcionários e encerrar mais de 700 agências no país. No Espírito Santo, o desmonte atingirá diretamente 4 unidades, a Moscoso e a Rio Branco, que serão fechadas, e as agências Expedito Garcia e Jardim Limoeiro, que serão transformadas em postos de atendimento.

Os estragos promovidos, porém, são mais profundos e abarcam toda a rede de atendimento. “Os empregados das agências extintas tiveram toda a sua rotina alterada, tendo que ser remanejados muitas vezes sem opção de escolha. Muitos funcionários correm o risco de ser descomissionados, já que funções estão sendo extintas, gerando um clima de insegurança e apreensão”, explica Thiago Duda, diretor do Sindibancários/ES.

A redução da dotação é um dos pontos críticos da reestruturação, já que aumenta a relação de clientes por funcionário, intensificando a sobrecarga de trabalho e prejudicando o atendimento.

“É um projeto que pretende enfraquecer o BB. Precisamos discutir junto nossa resistência, porque todos serão, direta ou indiretamente, impactados”, diz Duda, convidando os empregados para a atividade.

Imprima
Imprimir