Ricardo Ferraço apresenta hoje relatório sobre a reforma trabalhista

Contrariando a afirmação feita na semana passada, quando disse que a apreciação da matéria estava suspensa devido à crise política no país, Ricardo Ferraço apresenta hoje o relatório sobre a reforma trabalhista na reunião da Comissão de Assuntos Econômicos

Está prevista para esta terça-feira, 23, a apresentação do relatório do senador Ricardo Ferraço (PSDB) sobre a reforma trabalhista na reunião da Comissão de Assuntos Econômicos (CAE). O parlamentar anunciou a apresentação na segunda-feira, 22, contrariando a afirmação feita na semana passada, quando disse que a apreciação da matéria estava suspensa devido à crise política no país. Ricardo Ferraço também é relator da proposta na Comissão de Assuntos Sociais (CAS).

O diretor do Sindicato dos Bancários/ES e diretor nacional da Intersindical Central da Classe Trabalhadora Idelmar Casagrande questiona a mudança no posicionamento de Ricardo Ferraço.

“Quando vieram à tona as denúncias contra o Temer, tanto ele quanto o Arthur Maia, que também é relator da reforma trabalhista, disseram que todo o calendário estava suspenso, que não teria como discutir agora. Gostaria de saber o que mudou em tão pouco tempo para quererem apresentar as pressas o relatório para a Comissão. Creio que não mudou nada”, diz Idelmar.

O sindicalista afirma que neste momento o foco dos parlamentares deveria ser outro.

“Em meio às denúncias de corrupção envolvendo grande parte da Câmara e do Senado, os parlamentares deveriam se empenhar em apurar essas denúncias, e não fazer com que os trabalhadores e trabalhadoras paguem a conta por meio de um projeto de lei que retira direitos trabalhistas conquistados há décadas e precarizando as condições de trabalho no Brasil”, destaca Idelmar.

Segundo o senador, a proposta pode ser votada na Comissão de Assuntos Econômicos na próxima semana. Como alguma mudança no projeto da reforma trabalhista fará com que o projeto retorne para a Câmara, o relator disse que ajustes no texto poderão ser feitos por meio de veto presidencial e por edição de medida provisória para regular algumas das alterações.

Imprima
Imprimir