Santander alcança maior lucro líquido gerencial de sua história

Entre todos os países nos quais o banco atua, o Brasil é o mais lucrativo. País é responsável por 26% do lucro global do banco.

No primeiro semestre de 2017 o Santander teve um lucro de R$ 4,615 bilhões, um crescimento de 33,2% em relação ao mesmo período do ano passado e de 2,4% em relação ao 1º trimestre de 2017. Esse valor é o maior lucro líquido gerencial da história da instituição financeira. Entre todos os países nos quais o banco atua, o Brasil é o mais lucrativo, pois é onde o Santander tem 26% de seu lucro global, o que representa € 3,616 bilhões. Em seguida vem o Reino Unido, com 17%, e a Espanha, com 15%.

O banco encerrou o 1º semestre de 2017 com 2.281 postos de trabalho a menos em relação ao mesmo período no ano passado, sendo 301 a menos no trimestre.

“Esses dados são uma contradição. Se o lucro cresce, o certo seria o banco investir na contratação de mais trabalhadores e trabalhadores, e não demitir, pois há condição financeira suficiente para ampliar o quadro de funcionários”, diz o diretor do Sindicato dos Bancários/ES, Johnatas Correa.

Foram fechadas 11 agências e três postos de atendimento bancários (PABs) no período. Mesmo assim a carteira de clientes continua crescendo. O Santander conseguiu mais 2,154 milhões de clientes em um ano. O número de clientes digitais alcançou 7,4 milhões, crescimento de 35% em doze meses.

“O fato do número de clientes aumentar e o quadro de funcionários diminuir mostra que cada vez mais aumenta a sobrecarga de trabalho, já que a demanda de serviço se eleva e o número de trabalhadores e trabalhadoras para atendê-la somente diminui”, afirma a diretora do Sindibancários Claudia Garcia.

Imprima
Imprimir