Santander é campeão de demissões no ano de 2013

De acordo com uma pesquisa feita pelo Departamento Intersindical de Estudos Socioeconômicos (Dieese) o banco Santander é a instituição financeira que mais demitiu no ano de 2013. Segundo o estudo, nos últimos nove meses o Santander cortou 3414 postos de trabalho. Entre os bancos que mais demitiram também estão o Itaú (2883), Bradesco (1975) e […]

De acordo com uma pesquisa feita pelo Departamento Intersindical de Estudos Socioeconômicos (Dieese) o banco Santander é a instituição financeira que mais demitiu no ano de 2013. Segundo o estudo, nos últimos nove meses o Santander cortou 3414 postos de trabalho. Entre os bancos que mais demitiram também estão o Itaú (2883), Bradesco (1975) e Banco do Brasil (1529). Levando em consideração os últimos 12 meses, o número de bancários demitidos no Santander sobe para 4.542.

A “onda” de demissões no Santander não tem justificativa. Afinal, nos nove primeiros meses de 2013 o lucro da instituição financeira foi de R$ 4,3 milhões. A pesquisa mostra, ainda, que o corte de pessoal foi maior no Brasil do que em outros países, apesar de maior parte do lucro do Grupo Santander (24%) vir da unidade brasileira, seguida pelo Reino Unido (15%), México (11%), Estados Unidos (11%), Espanha (7%), Alemanha (6%), Polônia (6%), Chile (6%), restante da Europa (5%) e restante da Latinoamérica (8%).

“Diante de um lucro tão grande é inaceitável o Santander alegar que está demitindo para reduzir gastos na folha de pagamento, como tem dito. As constantes demissões têm gerado problemas para bancários e clientes. Cada vez mais há um número insuficiente de funcionários para atender a demanda, o que tem causado problemas de saúde aos trabalhadores em virtude da sobrecarga de trabalho. Por causa da falta de funcionários os clientes precisam esperar muito tempo para ter acesso aos serviços bancários nas agências do Santander”, diz o diretor do Sindicato dos Bancários/ES, Jonathas Corrêa.

Imprima
Imprimir