Santander impõe banco de horas a bancários

A instituição adotou a medida via assinatura de termo individual, sem consultar trabalhadores e representações da categoria

O Santander, desrespeitando seus funcionários e ignorando a representação coletiva da categoria, impôs por meio de assinatura eletrônica no Portal RH um termo individual que estabelece normas para banco de horas na instituição.

O documento apresenta a possibilidade de prorrogar em até duas horas a jornada de trabalho e prevê a compensação destas horas extras em até seis meses a partir da data de ocorrência. A política do banco de horas estabelece a razão de 1 hora extra para 1 hora de compensação, gerando prejuízo financeiro aos funcionários. O Sindicato entende que o pagamento das horas extras deve ser feito em dinheiro, com o acréscimo de 50% sobre o valor.

“O termo, por ser de adesão individual, abre margem para medidas de repressão contra os bancários que se oporem a ele, enfraquecendo assim a categoria enquanto unidade. Além disso, os bancários podem não receber em dinheiro as horas extras já trabalhadas, visto que esse tempo tende a minimizar as chances do trabalhador de recorrer na justiça”, analisa o diretor do Sindibancários/ES Cláudio Merçon.

A medida do banco, imposta sem qualquer negociação com a representação da categoria, flexibiliza a jornada de trabalho dos funcionários e evita a contratação de novos bancários. Esta é mais uma política de austeridade do banco, alinhada às retiradas de direitos dos trabalhadores bancadas pelo governo Temer.

“Recebemos denúncias dos bancários e bancárias sobre a imposição da assinatura imediata deste termo. Os funcionários do banco, ao acessarem o Portal RH, se deparam com a tela de assinatura do termo e ficam impossibilitados de prosseguir com outras atividades no Portal até fazerem a assinatura”, afirma a diretora Cláudia Garcia.

No próximo dia 13, quarta-feira, a Comissão de Organização dos Empregados do Santander (COE) se reunirá com a diretoria da instituição para debater pautas como o acordo individual do banco de horas, o reajuste do plano de saúde e a mudança na data de pagamento para o dia 30 de cada mês a partir de março de 2018.

Imprima
Imprimir