Santander se nega a avançar nas reivindicações dos trabalhadores e trabalhadoras

O Santander afirma que vai renovar o Acordo Aditivo à Convenção Coletiva de Trabalho, mas nega novas conquistas

Na terceira rodada de negociações com o Santander o banco espanhol declarou que irá renovar o Acordo Aditivo à Convenção Coletiva de Trabalho (CCT). Entretanto, a instituição financeira se nega a avançar na garantia de mais conquistas, como nas cláusulas sociais, de condições de trabalho e de saúde propostas pelos representantes dos trabalhadores e trabalhadoras. A reunião aconteceu na quarta-feira, 08.

Para o diretor do Sindicato dos Bancários/ES, Jonathas Correa, não há motivos para o Santander barrar avanços nas negociações.

“Os lucros do banco continuam altíssimos. No primeiro trimestre deste ano, o lucrou foi de R$ 1,66 bi. Isso corresponde a um crescimento de 1,7% em doze meses e de 3,3% em relação aos últimos três meses de 2015”, diz o sindicalista.

Ele afirma, ainda, que a declaração de renovação do Acordo Aditivo à Convenção Coletiva de Trabalho não é nenhuma benesse por parte do banco.

“Na verdade o banco sabe que não pode retroceder nos direitos garantidos por meio do Acordo Aditivo”, afirma.

A próxima rodada de negociação acontecerá na terça, 21.

Imprima
Imprimir