São Paulo e Bahia criam comitês em defesa da Caixa 100% pública. “Tuitaço” em defesa da CEF acontece na próxima quarta-feira, 25

Foram lançados nesta quarta-feira (18) mais dois comitês estaduais em defesa da Caixa 100% pública. Os fóruns foram criados em São Paulo e na Bahia, seguindo a orientação do comitê nacional, que é integrado por Fenae, Intersindical, Contraf, CUT, CTB e CSP-Conlutas. Paraná e Espírito Santo já haviam formado seus colegiados. O prazo para o […]

Foram lançados nesta quarta-feira (18) mais dois comitês estaduais em defesa da Caixa 100% pública. Os fóruns foram criados em São Paulo e na Bahia, seguindo a orientação do comitê nacional, que é integrado por Fenae, Intersindical, Contraf, CUT, CTB e CSP-Conlutas. Paraná e Espírito Santo já haviam formado seus colegiados. O prazo para o lançamento dos comitês estaduais, cuja missão é ampliar a mobilização contra qualquer proposta de abertura de capital do banco, termina nesta sexta-feira, dia 20 de março.
Os novos comitês integram a luta contra a proposta de abertura de capital da Caixa participando do “tuitaço” agendado para a próxima semana, dia 25 de março, a partir das 20h. Empregados da instituição, dirigentes de entidades do movimento sindical e associativo e todos os brasileiros que apoiam a causa devem postar, no Twitter, mensagens com a hashtag #DilmanãovendaaCaixa. Para ampliar a mobilização, a hashtag pode ser usada em outras redes sociais, como Facebook e Instagram.
 
Comitê paulista e baiano integram luta contra a abertura da CEF

Em São Paulo, o comitê é integrado por representantes dos sindicatos dos bancários da capital, do ABC e de Santos, além de Apcef/SP, Fetec-CUT/SP, Feeb/SP-MS, CUT, CTB, Intersindical e CSP-Conlutas. “É imprescindível que os empregados de agências, que têm contato direto com a população, entrem nessa campanha. Temos que deixar claro que nossa luta não é corporativa, mas em defesa de um patrimônio de todos os brasileiros”, afirma Dionísio Reis, diretor executivo do Seeb de São Paulo, Osasco e Região.

Já na Bahia, o comitê estadual foi lançado durante uma audiência pública realizada na Assembleia Legislativa, em Salvador (BA). O colegiado reúne Feeb BA/SE, Sindicato dos Bancários da Bahia, Apcef/BA, Agecef/BA, Aneac, AEA/BA e uma representação dos movimentos de moradia. “Não dá para colocar em xeque os programas sociais para satisfazer os rentistas. Os argumentos para abrir o capital da Caixa é cumprir com o superávit primário, que é o bolsa banqueiro. Temos que lutar contra isso”, diz Emanoel de Jesus, presidente do Feeb BA/SE.

O presidente da Fenae, Jair Pedro Ferreira, reforça a importância da criação dos comitês estaduais. “Esses fóruns são fundamentais para mobilizar empregados, entidades, movimentos sociais e sociedade em defesa da Caixa 100% pública. Isso já está ocorrendo no Paraná, Espírito Santo, São Paulo e Bahia. Espero que as entidades em outros estados se organizem e formem os comitês. O banco é um patrimônio de todos os brasileiros, que sempre foi e será protagonista no crescimento econômico e social do país”, destaca.

Pedido de audiência
Embora a imprensa tenha divulgado que o governo desistiu de abrir o capital do banco, o Comitê Nacional em Defesa da Caixa 100% Pública continua no aguardo de uma posição oficial do Palácio do Planalto. Audiências já foram solicitadas com a presidenta Dilma Rousseff, com o ministro Miguel Rossetto e com a presidente do banco, Miriam Belchior. “Notícia de jornal não basta. É necessário e urgente que haja um pronunciamento oficial”, frisa Jair Pedro Ferreira.

Moção em Mogi das Cruzes (SP)
No último dia 11, a Câmara Municipal de Mogi das Cruzes, interior de São Paulo, aprovou moção de apoio ao movimento Caixa 100% pública, posicionando-se contrária à abertura de capital do banco. O documento, apresentado pelo vereador Clodoaldo Aparecido de Moraes (PT), destaca o importante papel que a Caixa desempenha na implantação de programas como o Minha Casa Minha Vida e o Bolsa Família, entre outros.

A Câmara de Mogi das Cruzes dará ciência da deliberação daquela casa para a presidenta Dilma Rousseff, para Miriam Belchior (presidente da Caixa), para Renan Calheiros (presidente do Senado – PMDB/AL), para Vagner Freitas (presidente da CUT), para Carlos Cordeiro (presidente da Contraf/CUT) e para Jair Pedro Ferreira (presidente da Fenae).

Fonte: Fenae Net
Imprima
Imprimir