Saúde e condições de trabalho: BB não se mostra aberto ao diálogo durante negociação

Nos dias 24 e 25 de agosto aconteceu a mesa de negociações específicas do Banco do Brasil, cujo tema foi saúde e condições de trabalho. Entre os assuntos discutidos estão garantias de melhores condições para os trabalhadores que estão de licença saúde, Cassi, plano odontológico, trabalhadores de bancos incorporados e ato de gestão. Durante a […]

Nos dias 24 e 25 de agosto aconteceu a mesa de negociações específicas do Banco do Brasil, cujo tema foi saúde e condições de trabalho. Entre os assuntos discutidos estão garantias de melhores condições para os trabalhadores que estão de licença saúde, Cassi, plano odontológico, trabalhadores de bancos incorporados e ato de gestão. Durante a mesa de negociações, o BB não se mostrou aberto ao diálogo com os trabalhadores.

“Mais uma vez o BB, numa abertura de negociação, toma a postura de tentar enrolar, de não atender as reivindicações dos bancários e bancárias. E é preciso destacar que essa recusa em dialogar não aconteceu somente na mesa do BB, mas também na da Fenaban. Diante dessas posturas arbitrárias, nossa categoria tem que se unir ainda mais para fortalecer a nossa Campanha Salarial”, afirma a diretora do Sindicato dos Bancários/ES, Goretti Barone.

Na mesa de negociação a Comissão de Empresa dos Funcionários cobrou do BB melhoria das condições dos funcionários que estão de licença saúde. Entre os direitos reivindicados estão o pagamento dos auxílios refeição e cesta alimentação durante o período de licença, além da não redução do salário. O BB afirmou que considera difícil atender essa proposta.

Os trabalhadores também pediram o fim da discriminação aos funcionários de bancos incorporados. Eles solicitaram que o BB apresente uma lista de todos os itens que há impedimentos aos bancários de instituições financeiras incorporadas para busca conjunta de soluções. Inclusive, foi reivindicado que esses trabalhadores possam participar da Cassi e da Previ nas situações existentes possíveis hoje para alguns grupos.

Cassi e Plano Odontológico

Os trabalhadores também cobraram melhorias na Cassi, como o custeio da ampliação da Estratégia Saúde da Família e apresentação de soluções na mesa específica. Foram apresentadas propostas de incremento de receitas como percentual nos acordos de CCP e CCV e outros acordos e processos judiciais, bem como cobrado do BB que destine uma parte da PLR para a Cassi como forma de melhorar a saúde financeira da Caixa de Assistência.

Os funcionários cobraram do banco melhorias do plano odontológico e que este seja administrado pela Cassi, para gerar mais receitas e melhorar o atendimento do plano. O banco informou mudanças no atual plano odontológico e apresentou uma carta que está sendo encaminhada aos funcionários com as melhorias na BB Dental. O BB também ficou de apresentar à Comissão de Empresa a lista detalhada dos procedimentos que tiveram melhoria.

Ato de gestão

Os trabalhadores também cobraram da direção do Banco do Brasil o fim das demissões e descomissionamentos por ato de gestão, ou seja, sem justificativa. Os representantes dos funcionários afirmam que esse tipo de atitude por parte do banco tem servido apenas para ameaçar os trabalhadores. Contudo, o BB diz que atos de gestão são pontuais e não vê a necessidade acabar com esse instrumento.

A próxima rodada de negociação específica do BB está marcada para Brasília, em 31 de agosto, e abordará os temas segurança, igualdade de oportunidades e isonomia.

Imprima
Imprimir

Comentários