Segunda edição do Na Boca do Caixa agita Centro Sindical

A dupla de bancários do Bandes Gabriel Nunes e Eduardo Góes abriu a segunda edição do Na Boca do Caixa, que aconteceu na noite desta quarta-feira, 19. A dupla, que se apresentou publicamente pela primeira vez, fez bonito e apresentou o melhor da MPB e do Pop rock nacional, animando o público que compareceu ao […]

A dupla de bancários do Bandes Gabriel Nunes e Eduardo Góes abriu a segunda edição do Na Boca do Caixa, que aconteceu na noite desta quarta-feira, 19. A dupla, que se apresentou publicamente pela primeira vez, fez bonito e apresentou o melhor da MPB e do Pop rock nacional, animando o público que compareceu ao Centro Sindical dos Bancários.

“Foi muito bom tocar para os colegas da categoria, esse é um espaço que reúne funcionários de vários bancos, e nada melhor do que música para fazer amigos”, diz Gabriel, vocalista da dupla. Para Eduardo Góes, e evento contribuiu para a realização de um sonho. “A música era um sonho de adolescente. A gente acabou virando engenheiro e trabalhando no banco, sem dar seguimento a essa ideia. Tocar aqui foi muito bacana, e se surgir outros convites estaremos aqui, com certeza”.

A bancária Marcela Terra divide o espaço de trabalho com os colegas no Bandes e veio prestigiar a apresentação da dupla. “O espaço é informal e agradável. A oportunidade de ter bancários se apresentando e mostrando sua arte é muito válida”.

O bancário Deraldo Pereira Santos, do Banco do Brasil, veio pela segunda vez ao evento e já virou fã do projeto. “Está demais! É muito legal essa coisa de motivar os próprios funcionários a se apresentarem. Eu participei do primeiro e acho que temos que motivar mais bancários a estarem presentes”, destaca.

O Trio Hora Extra, coposto pelo bancário do Bradesco Fabrício Coelho e pelos músicos Wilds Taylor e Nelsinho Faé, fechou a noite cultural. “É muito bom ver colegas frequentando Centro Sindical através da cultura. Numa profissão tão estressante, precisamos também de um momento de descontração”, diz fabrício Coelho, que também é diretor do Sindicato.

NBC II 750

Para o diretor de cultura do Sindibancários/ES, Derik Bezerra, a atividade está cumprindo o objetivo. “A centralidade da proposta é garantir interação entre os bancários, um espaço leve, de lazer, e de divulgação e valorização dos artistas da categoria. É muito bom ver os bancários participando, principalmente de base”.  

 

Veja galeria de fotos do evento no Facebook

Imprima
Imprimir