Segunda-feira (08) tem assembleia para aprovação da minuta nacional. Participe!

Atividade será na às 18h30, na sede do sindicato. Entre as principais reivindicações estão reajuste de 14,78%, piso do Dieese (R$3.940,24 em junho), PLR de três salários mais valor fixo de R$ 8.317,90, defesa do emprego, combate às metas e ao assédio moral, fim da terceirização, defesa das empresas públicas e contra a perda de direitos.

Na próxima segunda-feira, 08, às 18h30, acontece na sede do Sindibancários/ES assembleia para aprovação da minuta de reivindicações da Campanha Nacional da categoria. A assembleia será no auditório do Sindicato, às 18h30. No dia seguinte (09), a pauta será entregue à Federação Nacional dos Bancos (Fenaban), e também acontecerá o lançamento da Campanha Salarial no Estado com entrega da minuta específica dos banestianos à direção do Banestes.

A pauta a ser negociada com a Fenaban foi aprovada na 18ª Conferência Nacional dos Bancários, realizada de 29 a 31 de julho, no Hotel Holliday Inn em São Paulo. Foram aprovados como eixos as propostas de reajuste de 14,78%, piso do Dieese (R$3.940,24 em junho), PLR de três salários mais valor fixo de R$ 8.317,90, defesa do emprego, combate às metas abusivas e ao assédio moral, fim da terceirização, defesa das empresas públicas e contra a perda de direitos.

Só a luta nos garante!

Esse será o mote da Campanha Nacional 2016. O tema aponta para a necessidade de unir a categoria na luta por valorização, e reafirma que só através da organização coletiva é possível preservar direitos e avançar nas negociações.

Principais reivindicações aprovadas na Conferência

Reajuste salarial: 14,78% (incluindo reposição da inflação mais 5% de aumento real)

PLR: 3 salários mais R$8.317,90

Piso: R$3.940,24 (equivalente ao salário mínimo do Dieese em valores de junho último).

Reposição das perdas salariais.

Vales alimentação, refeição, 13ª cesta e auxílio-creche/babá no valor de R$880,00 ao mês para cada (salário mínimo nacional).

Melhores condições de trabalho com o fim das metas abusivas e do assédio moral que adoecem os bancários.

Emprego: fim das demissões, mais contratações, fim da rotatividade e combate às terceirizações diante dos riscos de aprovação do PLC 30/15 no Senado Federal, além da ratificação da Convenção 158 da OIT, que coíbe dispensas imotivadas.

Plano de Cargos, Carreiras e Salários (PCCS): para todos os bancários.

Auxílio-educação: pagamento para graduação e pós.

Prevenção contra assaltos e sequestros: permanência de dois vigilantes por andar nas agências e pontos de serviços bancários, conforme legislação. Instalação de portas giratórias com detector de metais na entrada das áreas de autoatendimento e biombos nos caixas. Abertura e fechamento remoto das agências, fim da guarda das chaves por funcionários.

Igualdade de oportunidades: fim às discriminações nos salários e na ascensão profissional de mulheres, negros, gays, lésbicas, transexuais e pessoas com deficiência (PCDs).

Imprima
Imprimir

Comentários