Sindibancários convida para a marcha do dia do trabalhador e da trabalhadora

No próximo domingo, 1º de maio, é dia dos trabalhadores e das trabalhadoras. Nesta data o Sindicato dos Bancários/ES participará da 17ª Marcha pela Vida e Cidadania, cuja concentração será a partir das 8h, na comunidade Nossa Senhora Aparecida, no bairro Vila Rica, em Cariacica. De lá, os participantes seguirão rumo à matriz da paróquia […]

No próximo domingo, 1º de maio, é dia dos trabalhadores e das trabalhadoras. Nesta data o Sindicato dos Bancários/ES participará da 17ª Marcha pela Vida e Cidadania, cuja concentração será a partir das 8h, na comunidade Nossa Senhora Aparecida, no bairro Vila Rica, em Cariacica. De lá, os participantes seguirão rumo à matriz da paróquia Santa Clara de Assis, em Vila Bethânia, Viana. A Marcha é organizada pela Pastoral Operária com apoio de sindicatos e movimentos sociais.

O diretor do Sindibancários destaca o caráter de luta da Marcha pela Vida e Cidadania, que fez com que a entidade buscasse participar do ato e convidar a categoria pra se fazer presente. “Em todo o Brasil, inclusive no Espírito Santo, algumas centrais sindicais, como a Força Sindical e a CUT, transformaram o 1º de maio em um dia de festa. Mas para o Sindibancários trata-se de um dia de luta. Por isso que todo ano participamos da marcha com os movimentos sociais e pastorais, que saem às ruas, com autonomia e independência, para denunciar os retrocessos que muitas leis que estão tramitando na Câmara e no Senado querem impor aos direitos trabalhistas”, diz Fabrício.

A Marcha contará com cinco blocos. Eles tratarão dos temas educação, transporte público, que denunciará a situação de precariedade em que vivem os trabalhadores desse setor; direitos trabalhistas, saúde, segurança, com enfoque na violência contra a juventude negra e as mulheres; e saneamento e meio ambiente, que também denunciará a morte do Rio Doce em virtude do crime ambiental cometido pela Samarco, Vale e BHP Billiton com o rompimento da barragem de Fundão, em Mariana, Minas Gerais, em novembro do ano passado.

O tema do ato será “Trabalhadores e trabalhadoras por um mundo onde a justiça brote como fonte de vida e cidadania”, e o lema, “É dever de cada pessoa cuidar da casa comum”. “Escolhemos esse tema e esse lema por irem ao encontro da Campanha da Fraternidade deste ano. E com a marcha queremos mais do que mostrar nossa indignação em relação às retiradas de direitos dos trabalhadores, queremos reafirmar nossa luta pelo alcance das políticas públicas para a classe trabalhadora”, afirma a integrante da Pastoral Operária, Kátia Mariano do Nascimento.

Imprima
Imprimir

Comentários