Sindicato faz ação em defesa dos bancos públicos

Ato ocorreu nas agências da Caixa, Banco do Brasil e Banestes e fez parte do dia nacional de luta e resistência em defesa dos bancos públicos, integrando calendário da Campanha Nacional

Foto Sérgio Cardoso

O ato em defesa dos bancos públicos começou pela agência da Caixa na Reta da Penha, antes da abertura da agência. 

Numa conjuntura cada vez mais opressora para bancários e bancárias, o Sindibancários-ES realizou na manhã desta quarta-feira, 30, um ato que integra o Dia Nacional em Defesa dos Bancos Públicos e o calendário da Campanha Nacional 2017. A ação aconteceu no corredor da Reta da Penha, em Vitória, nas agências da Caixa, Banco do Brasil e Banestes, envolvendo a participação de bancários, clientes e seguranças que estavam nas agências. A ação teve início na Caixa, onde o Sindicato abordou clientes e funcionários explicando os efeitos dos ataques aos bancos públicos com as privatizações.

“Sem os bancos públicos não há desenvolvimento no país e no Espírito Santo. Estamos desde o governo Fernando Henrique Cardoso lutando para preservar essa empresa. Por isso, todas as quartas-feiras passaremos nos bancos intensificando o trabalho de base, conversando com funcionários e clientes”, ressalta a diretora do Sindibancários, Rita Lima.

Indignação

Para José Clóvis, funcionário da Caixa há 35 anos, ao propor a privatização o governo ignora a importância do banco para o povo brasileiro. “No país existem milhões de pessoas que necessitam da intervenção estatal para garantir seus direitos. Corremos o risco de o governo privatizar a Caixa e deixar uma legião de pessoas à margem do sistema social e financeiro do país”, aponta Clóvis.

Já a dona de casa Maria Antônia de Oliveira contou receber pela Caixa desde quando se aposentou. “Desde que me aposentei como cozinheira recebo pela Caixa e sempre contei com os serviços do banco. Se privatizado eles podem cobrar ainda mais taxas e vai ficar bem mais difícil”, comenta.

Banestes

Fôlderes da campanha pelo Banestes público e estadual foram distribuídos aos clientes do banco

No Banestes da Reta da Penha, o ato em defesa desse banco público destacou a campanha estadual, com o tema “Esse banco é da nossa conta”. O diretor do Sindibancários Jonas Freire criticou as demissões e o fechamento de agências do Banestes, além de apontar o risco real de privatização da instituição financeira.

“Estamos com a campanha estadual do Banestes no Facebook e, nelas, apontamos as ameaças que o banco sofre. Por isso, e importante que todos acessem e compartilhem o material dessa campanha”, incentivou.

Em 2016, o Banestes teve um lucro líquido de R$ 161,40 milhões, o que significa um crescimento de 7% em relação ao ano anterior. A carteira de crédito imobiliário, por exemplo, subiu 44,4% – dados que indicam o potencial do banco para dar suporte às políticas públicas.

Banco do Brasil

Dérik, secretário geral do sindicato, destacou a importância de categoria lutar junto para enfrentar a conjuntura negativa

No Banco do Brasil, o secretário geral do Sindicato, Derik Bezerra Machado, destacou o esvaziamento de funcionários nas agências em função do aumento de demissões. “Basta olhar em volta para ver as cadeiras vazias. Não é falta de cliente, mas de funcionários, porque o banco está enxugando o quadro de empregados. Isso não é para melhorar a qualidade de vida dos trabalhadores. Nós sabemos o quanto adoecemos. Clientes sabem o quanto esperam nas filas. Em contrapartida, o lucro do banco só aumenta”, afirma Dérik.

Segundo ele, a reforma trabalhista implementada pelo governo ilegítimo de Michel Temer veio para diminuir e precarizar cada vez mais as condições de trabalho. “Em contrapartida, o governo perdoa as dividas de empresários, de ruralistas, mas do trabalhador diminui o salário mínimo, aumenta a jornada de trabalho e diminui salários. É importante e necessário que a gente perca a paciência, esse é o nosso papel para sair dessa conjuntura histórica negativa para os trabalhadores”, afirma.

Assembleia

Durante o ato, Carlão convocou funcionários das agências a participarem da Assembleia nesta quarta (30), na sede do sindicado

O Sindicato também aproveitou a ação política para mobilizar a categoria para assembleia que acontece hoje, 30, que irá discutir a Campanha Nacional 2017 e aprovar o desconto assistencial que ajudará na cobertura dos gastos da Campanha. A atividade será a partir das 18h30, na sede do Sindicato dos Bancários (Rua Wilson Freitas, 93, – Centro, Vitória). O diretor Carlos Pereira de Araújo (Carlão) convidou a categoria.

“Realizaremos hoje uma assembleia para discutir a Campanha Nacional e as estratégias para combater os desmontes com a reforma trabalhista e da previdência. É importante a participação dos trabalhadores nessa luta permanente em defesa dos trabalhadores dos bancos públicos”, destacou Carlão.

Fotos Sérgio Cardoso. 

Imprima
Imprimir