Sindibancários/ES faz ação sindical referente ao Dia Internacional de Luta das Mulheres

Como parte das atividades que marcam o Dia Internacional de Luta das Mulheres – 8 de março – o Sindicato dos Bancários/ES realizou nesta segunda-feira, 09, uma rodada de ações sindicais nas agências do Centro de Vitória. A atividade começou às 8h, no Banestes Palas Center, de onde os diretores seguiram para os demais bancos […]

Como parte das atividades que marcam o Dia Internacional de Luta das Mulheres – 8 de março – o Sindicato dos Bancários/ES realizou nesta segunda-feira, 09, uma rodada de ações sindicais nas agências do Centro de Vitória. A atividade começou às 8h, no Banestes Palas Center, de onde os diretores seguiram para os demais bancos da região. Foram distribuídos o calendário menstrual 2015 e a edição nº 106 do Jornal Mulher 24 Horas, que traz como tema o assédio sexual.

“No ano passado fizemos a distribuição da cartilha sobre assédio sexual, o que motivou muitas mulheres a procurarem o Sindicato para denunciar o assédio vivenciado no local de trabalho. O Coletivo de Mulheres considerou que seria importante abordar o tema no jornal como forma de explicitar essa violência, politizar o debate sobre tema e encorajar as mulheres a denunciar. Também é uma forma de dar orientações sobre como proceder ao ser vítima de assédio sexual”, diz a diretora do Sindibancários/ES, Lucimar Barbosa.

Segundo Lucimar, a ação sindical vem reafirmar a política do Sindicato contra as diversas formas de violência à mulher. “Somos mais da metade dos integrantes da categoria, mesmo assim ganhamos menos que os homens. A desigualdade de gênero muitas vezes fica naturalizada. Queremos trazer reflexões sobre isso e transformá-las em política, inclusive, levando propostas para a mesa de negociação com os patrões”, afirma Lucimar.

Fórum de Mulheres

O Sindibancários também participou das atividades realizadas pelo Fórum de Mulheres. No domingo, 8, aconteceu o “Festival Lugar de Mulher é Onde Ela Quiser”, embaixo da Ponte da Passagem, em Jardim da Penha. O evento reuniu coletivos artísticos e políticos, entidades e movimentos sociais em atividades culturais de ocupação da cidade. O festival foi produzido integralmente por mulheres e com uma programação toda composta por iniciativas femininas.

“O Fórum de Mulheres é um espaço para todos os movimentos. Participamos de suas atividades por acreditarmos que a política para as mulheres deve ser uma política de governo também. Por isso, nos unimos a diversos movimentos para fortalecer a luta por políticas públicas voltadas para a igualdade de gênero e fim da violência contra a mulher”, diz Lucimar.

Ações no interior

Em Colatina também estão acontecendo atividades de luta que reúnem movimentos do campo e da cidade. Na manhã desta segunda, 9, uma marcha saiu da Segunda Ponte rumo ao Centro da cidade. No trajeto os manifestantes pararam em frente à Companhia Nacional de Abastecimento (Conab), na agência da Caixa e do Banco do Brasil.

O sindicato dos Bancários/ES também esteve presente. “Fizemos uma ato em defesa da Caixa 100% pública e reivindicamos melhorias no Programa Minha Casa Minha Vida, pois desde o ano passado a linha de crédito desse programa social tem sido reduzida. No Banco do Brasil, junto com integrantes do Movimento dos Pequenos Agricultores e outros movimentos ligados ao campo, destacamos a necessidade de aumentar as linhas de crédito do Programa Nacional de Fortalecimento da Agricultura e de conceder anistia aos empréstimos feitos aos agricultores familiares em virtude da seca. Também reivindicamos a contratação de mais funcionários para ambos os bancos”, afirma Goretti. 

Tanto em Vitória quanto em Colatina a programação prossegue na parte da tarde. Na capital haverá uma aula sobre feminicídio na Praça Costa Pereira, no Centro. Em Colatina, militantes de sindicatos e movimentos sociais entregarão ofícios na Superintendência Estadual de Educação, INSS, Superintendência de Saúde e Justiça Federal. Entre as reivindicações estão educação de qualidade, reforma previdenciária que não retire direitos dos trabalhadores e trabalhadoras, mais investimento no programa de saúde da mulher e agilidade dos processos referentes à reforma agrária. 

Confira aqui as fotos que registram a ação sindical do Dia Internacional de Luta das Mulheres

Imprima
Imprimir