Sindibancários/ES reivindica melhores condições de trabalho à diretoria do BB

Sobrecarga de trabalho, redução da dotação no Estado, situação caótica do PSO e o precário suporte técnico às agências foram alguns dos problemas na gestão do Banco do Brasil apresentados à direção do Banco nesta sexta-feira, 17. Por meio de ofício, os diretores do Sindicato reivindicaram melhores condições de trabalho e apontaram como a atual […]

Sobrecarga de trabalho, redução da dotação no Estado, situação caótica do PSO e o precário suporte técnico às agências foram alguns dos problemas na gestão do Banco do Brasil apresentados à direção do Banco nesta sexta-feira, 17. Por meio de ofício, os diretores do Sindicato reivindicaram melhores condições de trabalho e apontaram como a atual política de gestão de pessoas tem provocado o adoecimento dos bancários e bancárias. Também pediram que as discussões em relação à Cassi fossem feitas com seriedade.

O documento deveria ter sido entregue em mãos ao presidente do BB, Alexandre Correa de Abreu, que visitou o Estado nesta sexta. No entanto, diante da imposição de Abreu em atender apenas dois dos quatro dirigentes do Sindicato e bancários do BB presentes, o ofício foi entregue ao diretor de Distribuição do Banco (Dired), José Carlos Reis da Silva (Zeca), que recebeu os bancários.

“Nossa intenção era entregar o documento diretamente ao presidente, mas ficamos perplexos com sua recusa em atender os quatro diretores do Sindicato que são funcionários do BB. O presidente se recusou a nos atender, mas foi almoçar com o governador. Apesar da cortês acolhida do diretor Zeca, creio que o comportamento do presidente diz muita coisa sobre a postura do Banco para com os trabalhadores. Será que ele teria recusado uma comitiva da Findes?”, questiona o diretor do Sindibancários/ES Thiago Duda.

Demandas

Durante o encontro, a diretora do Sindicato, Goretti Barone, destacou como a escassez de empregados tem provocado a sobrecarga de trabalho e o adoecimento de bancários. “Nos últimos anos, tivemos um aumento do número de agências no Estado, mas o número de empregados não cresceu no mesmo ritmo. Hoje, temos 97 agências no Estado, mas a dotação permanece em torno de 1.500 funcionários. Esse é um problema que atinge todos os estados e merece atenção do Banco, pois estamos à beira de um caos”, disse.

Outro ponto abordado durante o encontro foi o alto índice de adoecimento entre os bancários. “A cada dia cresce o número de bancários e bancárias adoecidos e isso é resultado de uma gestão baseada na pressão pelo cumprimento de metas. Como se isso não bastasse, o atendimento aos adoecidos é inadequado, eles ainda são pressionados a retornarem ao trabalho o mais rápido possível”, enfatizou a diretora de Saúde do Sindicato, Maristela Correa.

Compromisso

Durante a conversa, o diretor do BB se comprometeu a encaminhar as demandas apresentadas pelo Sindibancários/ES à presidência do BB e contribuir para solucionar os problemas.  Sobre a recente reestruturação do Banco que pôs fim à Gecex, por exemplo, José Carlos Reis da Silva garantiu que irá levar o caso diretamente ao presidente, tendo em vista a importância do setor para a atuação do Banco no Estado, que é um dos principais exportadores do Brasil.

-O encontro também teve a participação do diretor do Sindicato e bancário do BB,  Derick Bezerra, e da coordenadora do Conselho de Usuários da Cassi, Maria da Penha Calmon.

Confira o documento na íntegra 

Imprima
Imprimir