Sindibancários/ES retarda abertura de agência do Itaú

Sobrecarga de trabalho, demissões e atendimento precário aos clientes. Essa é a realidade nas agências do Itaú, que está entre os bancos líderes em demissões. Em protesto contra essa situação, nesta quarta-feira, 29, o Sindibancários/ES retardou a abertura da agência da Reta da Penha, em Vitória, até as 12 horas. Durante a ação, foram distribuídos […]

Sobrecarga de trabalho, demissões e atendimento precário aos clientes. Essa é a realidade nas agências do Itaú, que está entre os bancos líderes em demissões. Em protesto contra essa situação, nesta quarta-feira, 29, o Sindibancários/ES retardou a abertura da agência da Reta da Penha, em Vitória, até as 12 horas. Durante a ação, foram distribuídos panfletos para a população denunciando o desrespeito do banco aos trabalhadores.

O resultado dessa política de gestão adotada pelo Itaú é o adoecimento dos empregados, que sofrem com a sobrecarga de trabalho e com a pressão para o cumprimento de metas. Os problemas atingem também os clientes, que são obrigados a enfrentar longas filas, ficando muitas vezes sem receber a atenção necessária. Para obter altos lucros – de R$ 5,733 bilhões somente no primeiro trimestre deste ano -, o Itaú mantém essa forma de gestão que adoece seus empregados e penaliza clientes.

“A cada dois gerentes, o Itaú demite um e obriga o bancário que fica a assumir duas carteiras de clientes, das pessoas jurídicas e físicas. Com essa sobrecarga de trabalho e pressão para bater metas, muitos bancários estão adoecendo e já temos casos de gerentes que estão em tratamento com psiquiatra. Enquanto isso, os clientes ficam sem atendimento. Vamos continuar mobilizados e realizaremos outras ações para pressionar o banco a mudar essa forma gestão e respeitar seus empregados”, destaca a diretora do Sindibancários/ES, Mônica Cristina Pais da Silva Garcia.

Falta de segurança

Além disso, o banco descumpre a Lei 10.092/2013, que obriga a instalação de biombos nos caixas das agências, colocando em risco a vida dos trabalhadores e usuários, que podem ser vítimas de assaltos, as chamadas “saidinhas”, ou até mesmo sequestro para extorsão de dinheiro.

O Sindicato dos Bancários/ES, junto com toda a categoria, luta para que o Itaú respeite os direitos dos seus empregados, garanta um atendimento de qualidade aos seus clientes e cumpra todas as medidas de segurança. É inaceitável que o banco continue obtendo altos lucros em cima do adoecimento dos bancários e do precário atendimento à população.

Imprima
Imprimir

Comentários