Sindibancários realiza ação sindical em Guarapari

Em mais uma ação da Campanha Nacional dos Bancários 2015, os diretores do Sindibancários visitaram os bancários de bancos públicos e privados de Guarapari e Muquiçaba nessa quinta-feira, 03. Acompanhados de banda musical e com apresentação de esquetes teatrais, os diretores mobilizaram bancários e bancárias para a luta em defesa por mais direitos. Entre as […]

Em mais uma ação da Campanha Nacional dos Bancários 2015, os diretores do Sindibancários visitaram os bancários de bancos públicos e privados de Guarapari e Muquiçaba nessa quinta-feira, 03. Acompanhados de banda musical e com apresentação de esquetes teatrais, os diretores mobilizaram bancários e bancárias para a luta em defesa por mais direitos.

Entre as reivindicações da Campanha Salarial 2015 estão reajuste de 16%, piso do Dieese, que é de R$ 3.299,66, fim das metas e do assédio moral, plano de cargos, carreiras e salários para todos os bancários; fim das demissões, mais contratações, combate à terceirização, entre outros.

“Circulamos por todas as agências da cidade e sentimos que os bancários e bancária estão mobilizados nesta Campanha. Também tivemos apoio dos clientes, que sofrem com a demora no atendimento devido à escassez de empregados. Já tivemos duas rodadas de negociação e os bancos continuam negando as reivindicações da categoria. Temos que nos manter mobilizados para arrancar nossos direitos”, destaca o diretor do Sindibancários/ES, Jonas Freire.

Na primeira rodada de negociação com a Fenaban, na qual foram discutidas cláusulas sobre emprego, por exemplo, questões como terceirização e rotatividade, os banqueiros se negaram a assumir compromisso com a manutenção dos empregos da categoria. A segunda rodada de negociação, cujo tema é saúde, condições de trabalho e segurança, teve início na quarta-feira, 02 de setembro, e tem prosseguimento nesta quinta, 03. Ontem, os bancos se recusaram, a atender cláusulas que asseguram o direito à saúde dos bancários no local de trabalho e põem fim ao adoecimento na categoria.

Leia Mais:

Fenaban se nega a negociar manutenção do emprego bancário

 

Imprima
Imprimir

Comentários