Sindicato celebra 157 anos da Caixa e aponta desafios para manter o banco 100% público

Ação Sindical na agência Expedito Garcia, em Campo Grande, Cariacica, marcou comemoração do aniversário do maior banco público do país e convocou a população para defesa da Caixa 100% pública

Rita Lima: “Nesses 157 anos da Caixa temos pouco a comemorar, apesar de toda contribuição do banco para o combate às desigualdades”

Em Ação Sindical realizada pelo Sindicato dos Bancários do ES nesta sexta-feira, dia 12, o parabéns aos 157 anos da Caixa Econômica Federal teve um forte significado de resistência aos ataques do Governo Temer que ameaçam um banco 100% público. Durante a ação, que ocorreu na agência Expedito Garcia, a principal avenida comercial de Campo Grande, Cariacica, foram distribuídos panfletos da campanha “Defenda a Caixa Você Também”, junto com a Carta Aberta à População, destacando a importância social da Caixa –  responsável por 70% dos financiamentos habitacionais do país, além da gestão de diversas outras políticas públicas e programas sociais.

“Nesses 157 anos da Caixa temos pouco a comemorar, apesar de toda contribuição do banco para o combate às desigualdades. Esse é um momento fundamental para refletir sobre os rumos que o banco vem tomando e o desafio que é manter essa empresa totalmente pública. Estamos aqui em nome de uma história contada por aqueles que resistem e ainda estão resistindo às várias ameaças de privatização, desde os anos 90”, afirma Rita Lima, diretora do Sindibancários/ES.

A diretora Renata Garcia também destacou o papel diferenciado da Caixa em relação a outros bancos. “A Caixa tem um tem um perfil diferente, pois administra os direitos que conquistamos ao longo de vários anos de luta, como o FGTS, o PIS, o seguro-desemprego, e o programa Bolsa Família. São esses e outros direitos que os trabalhadores têm e que governos anteriores, assim como esse, já estavam se especializando em retirar. Sempre com o objetivo de esvaziar o papel social da Caixa para justificar a sua privatização”, enfatiza a diretora do Sindicato.

Durante o ato sindical, empregados que atuam na agência Expedito Garcia também comemoraram os 157 anos do banco. Na ocasião, a diretora Renata Garcia destacou, ainda, que os bancários e as bancárias da Caixa estão sofrendo um forte ataque promovido pelo governo Temer: “Funções estão sendo extintas, como a de caixa, que é estruturante no atendimento à população”, aponta.

De acordo com dados divulgados pelo Comitê Nacional em Defesa da Caixa, até dezembro do ano passado, a instituição financeira fechou 7.315 postos de trabalho em todo país. Em novembro do ano passado, com o objetivo de cortar custos, o governo federal chegou a alterar o limite de postos de trabalho na estatal em, no máximo, 90 mil empregados. Atualmente, a Caixa possui cerca de 87 mil funcionários.

“A Caixa não contrata novos empregados, demite e não substitui aqueles que saem do banco. Por isso, o sufoco nas agências que estão superlotadas. Há demora no atendimento e filas quilométricas. Isso não é responsabilidade dos funcionários, é da direção da Caixa e do governo com suas medidas de reestruturação. Se não fosse a solidariedade dos clientes e o empenho dos empregados que intercedem na luta e resistência para manter a Caixa 100% pública, ela não estaria mais de pé”, acrescentou Renata Garcia.

Confira a Galeria de Imagem aqui.

Leia também a Carta aberta à população, distribuída durante o ato:

 

Imprima
Imprimir