Sindibancários inicia negociações das mesas permanentes com o Banestes

Entre os pontos discutidos estão contratação de mais empregados, ressarcimento de despesas com viagens a trabalho, processos de seleção interna e o início dos trabalhos das comissões

O Sindibancários/ES se reuniu na tarde dessa quarta-feira, 14, com a direção do Banestes para discutir as cláusulas do Acordo Coletivo pendentes e a formação das comissões, também previstas no acordo. Contratação de mais empregados, ressarcimento de despesas com viagens a trabalho, processos de seleção interna e o início dos trabalhos das comissões foram os principais pontos discutidos.

Uma nova reunião está prevista para acontecer na próxima semana, quando o banco deverá apresentar respostas para as diversas demandas pendentes. “Temos um acúmulo de demandas e por isso é tão importante fazer valer a mesa permanente, não apenas como espaço de debate, mas principalmente para buscar soluções para as demandas da categoria. Muitas questões surgem fora da mesa de Campanha Salarial. Vamos cobrar para que o banco apresente as respostas pendentes o mais rápido possível”, enfatiza o coordenador geral do Sindibancários/ES, Jonas Freire.

Confira os principais pontos discutidos

• Banescaixa – conforme previsto na 16° Cláusula do Acordo, foi formado o grupo de estudos sobre a Banescaixa para discutir as questões relativas aos benefícios e formas de contribuição da Caixa de Assistência. A Comissão será constituída pela superintendente da Banescaixa, Maria Augusta, o consultor jurídico da instituição, Nelson Elias Neto; pelo gerente de Recursos Humanos do Banestes, Flávio Diesel, e pela coordenadora de Recursos Humanos do banco, Fernanda Demuner Passamani; e representando o Sindibancários/ES, os diretores Jonas Freire e Jessé Alvarenga. Essa mesma comissão também vai discutir a eleição direta para um membro representante dos empregados no Conselho Deliberativo da Banescaixa.

• Dispensa de seleção interna – prevista na Cláusula 38° do Acordo, foi formada a comissão para discutir as remoções de funções gratificadas ou de confiança. A comissão é formada pelos diretores do Sindibancários/ES Jonas Freire e Jessé Alvarenga, e, representando o Banestes, pelo gerente de Recursos Humanos da instituição financeira, Flávio Diesel, e pelo técnico bancário II Rômulo de Souza Costa.

• Dia útil não trabalhado – Foi definido, conforme previsto na Cláusula 43°, a formação de uma mesa temática para discutir a notificação do Ministério Público do Trabalho (MPT) contra o Banestes referente ao descumprimento de carga horária do bancário. Já a regulamentação do sábado como dia útil não trabalhado e domingo como dia de descanso está ligada a uma decisão do Tribunal do Superior do Trabalho (TST), depende de assessoria jurídica e será discutida posteriormente.

• Contratação de mais empregados – o Sindibancários/ES cobrou do banco a contratação de mais funcionários. O Sindicato tem recebido inúmeras denúncias de bancários e bancárias que estão sobrecarregados nas agências e departamentos, tendo em vista a escassez de empregados. A direção do Banestes reconheceu que há déficit de bancários, mas não apresentou resposta para a reivindicação apresentada.

• Cursos de graduação e pós-graduação – A direção do Sindibancários/ES também cobrou o cumprimento da Cláusula 38°, que garante a implantação de política de incentivo à realização de cursos de graduação e pós-graduação. A direção do banco respondeu que já tem uma proposta e sugestões de cursos, e que está encaminhando a demanda internamente.

• Processos de seleção interna – Outro ponto colocado na pauta de reunião foram as inúmeras irregularidades nos critérios de pontuação de seleção interna, que desestimularam diversos bancários a participarem da seleção. Os critérios foram alterados após o encerramento das inscrições.

• Remoções – Os diretores e diretoras do Sindibancários/ES também cobraram do banco as remoções de caixas para outras regiões, que têm prejudicado bancários e o candidatos aprovados.

• Ajuda de custo e auxílio moradia – Foi reivindicado pelo Sindibancários/ES o reajuste da ajuda de custo e do auxílio moradia concedidos aos gerentes em caso de transferência, tendo em vista que os valores pagos estão abaixo do custo real. O banco argumentou que faz uma pesquisa da média do valor da moradia no local para o qual o gerente foi transferido. Mesmo assim, o banco se comprometeu a avaliar a reivindicação apresentada.

• Despesas com viagem – Foi solicitado ao banco um reajuste também no valor da diária, das despesas com alimentação e da quilometragem paga aos bancários que necessitam viajar a trabalho. O banco ficou de analisar a demanda.

• Segurança – Outro importante ponto discutido foi a falta de segurança para os bancários que realizam serviços externos. O Sindibancários/ES reivindicou que esses empregados sejam acompanhados por segurança, já que muitas vezes são confundidos com assaltantes e chegam a sofrer abordagem policial. O banco reconheceu que há esse risco e se comprometeu a analisar a questão.

• Deslocamento em estradas – Foi apresentado ao banco as péssimas condições de trabalho dos bancários que necessitam utilizar carros do banco. Foram reivindicados carros adequados para atender todos empregados, de qualquer estatura, e que sejam aptos para viagem de longa distância, garantindo mais segurança. Também foi solicitada a instalação de TAG para todos os pedágios nas rodovias do Estado.

• Folgas eleitorais – O Banestes publicou recentemente a Resolução Interna 928, que impõe que as folgas eleitorais sejam desfrutadas no mesmo ano da eleição. No entanto, a resolução contradiz o que determina o Tribunal Superior Eleitoral, que não estabelece prazo para usufruir os dias de abono. O Banestes não abriu mão da resolução. O Sindibancários/ES está acompanhando a questão para que os bancários que prestam serviço eleitoral não sejam prejudicados. A orientação é que o empregado tente negociar com o gestor imediato o dia em que deseja folgar, e caso não haja acordo, procure o Sindicato.

Imprima
Imprimir