Sindicato realiza reunião com funcionários do BB da agência Linhares

Durante uma reunião com o Sindicato dos Bancários/ES, realizada na última quinta-feira (23), os funcionários do Banco do Brasil da agência Linhares revelaram trabalhar sob muita angústia, péssimas condições de trabalho e cobrança de metas. Os bancários reclamam que a agência vem sofrendo com a falta de funcionários, existindo hoje 3 vagas em aberto, podendo […]

Durante uma reunião com o Sindicato dos Bancários/ES, realizada na última quinta-feira (23), os funcionários do Banco do Brasil da agência Linhares revelaram trabalhar sob muita angústia, péssimas condições de trabalho e cobrança de metas.

Os bancários reclamam que a agência vem sofrendo com a falta de funcionários, existindo hoje 3 vagas em aberto, podendo o número chegar a 4, por conta de uma aposentadoria. Além disso, segundo o relato dos próprios bancários, constantemente a agência cede seus funcionários para outras agências. Ainda há problemas com a estrutura básica, como falta de equipamentos, falta de manutenção em computadores, impressoras e digitalizadores, o que já intensifica a sobrecarregada jornada de trabalho. A excessiva cobrança de metas também foi um dos grandes problemas constatados.

“Temos a convicção de que o problema do assédio na cobrança das metas está institucionalizado, faz parte da política de Gestão de Pessoas do banco. Porém, há lugares onde essa realidade é agravada, dependendo da atuação da gestão da unidade”, diz Dérik Bezerra, diretor do sindicato. “É fundamental a participação dos trabalhadores nas atividades do Sindicato, onde é possível construir espaços coletivos. O fortalecimento da atuação dos Delegados Sindicais e a participação nas instâncias de decisão do movimento, por exemplo, o Congresso Estadual dos Bancários, são iniciativas imprescindíveis para darmos vazão às reivindicações do funcionalismo, a partir da base”, complementa.

Depois de uma história com muita cobrança de metas e pouco cuidado com a satisfação dos funcionários, a agência Linhares passa por uma reformulação em sua gestão. Para Thiago Duda, “a reunião com a agência permitiu algumas reflexões. Entre elas, de que a saída para nossos problemas é a atuação coletiva. É fundamental que os trabalhadores se unam e busquem com o sindicato as soluções dos problemas nos locais de trabalho. É preciso recriar (ou criar) espaços de diálogos para que os individualismos e a competitividade – contexto construído pelo banco – sejam desconstruídos em favor da solidariedade e coletividade. É muito importante que as agências relatem ao Sindicato as dificuldades encontradas em seus locais de trabalho, para que juntos, Sindicato e trabalhadores, encontrem saídas coletivas para resolver ou minimizar o sofrimento causado pelas péssimas condições a que somos submetidos no cotidiano”, disse.

Imprima
Imprimir