Tesoureiro não tem que fazer serviço de caixa

O acúmulo de atividades vem acontecendo devido à redução do número de caixas após o lançamento do Plano de Demissão Voluntária Extraordinário. Quem aderiu ao PDVE não está sendo substituído pelo banco.

O Sindicato dos Bancários vem recebendo reclamações dos tesoureiros da Caixa Econômica Federal sobre acúmulo de trabalho em virtude do tratamento de malotes empresariais e dos envelopes do autoatendimento terem sido repassados para esses empregados. A orientação do Sindicato, com base na norma RH 183 do próprio banco, é que a atribuição é dos caixas, não dos tesoureiros.

O acúmulo de atividades vem acontecendo devido à redução do número de caixas após o lançamento do Plano de Demissão Voluntária Extraordinário (PDVE). Os empregados que aderiram ao PDVE não estão sendo substituídos pelo banco.

Com essa redução, os gerentes, que passaram a orientar o trabalho dos tesoureiros após a reestruturação – antes esses profissionais estavam subordinados às Gerências de Retaguarda (Girets) –, redistribuíram a atividade de tratamento de malotes e de envelopes.

RH 183

“Os tesoureiros não são obrigados a fazer esse trabalho”, afirma a diretora do Sindicato Rita Lima. Ela lembra que as atribuições de cada uma das funções estão previstas na RH 183 e “qualquer pressão do banco para o exercício de outra atividade deve ser denunciada ao Sindicato para a adoção de providências cabíveis”.

Imprima
Imprimir