Trabalhadores e trabalhadoras exigem que BMB pague Participação nos Resultados da Empresa

O pagamento da Participação nos Resultados da Empresa (PR) foi tema de uma reunião realizada no dia 15 de outubro entre a Comissão de Organização dos Funcionários do Banco Mercantil do Brasil, Federação dos Trabalhadores do Ramo Financeiro de Minas Gerais, direção do BMB e demais sindicatos de bancários. O objetivo da reunião foi debater […]

O pagamento da Participação nos Resultados da Empresa (PR) foi tema de uma reunião realizada no dia 15 de outubro entre a Comissão de Organização dos Funcionários do Banco Mercantil do Brasil, Federação dos Trabalhadores do Ramo Financeiro de Minas Gerais, direção do BMB e demais sindicatos de bancários. O objetivo da reunião foi debater sobre a reivindicação dos empregados do banco em relação ao pagamento da PR no valor de R$ 3 mil, sendo um adiantamento de R$ 2 mil em outubro e R$ 1 mil em fevereiro de 2015.

Os representantes dos trabalhadores e trabalhadoras cobraram que os valores mencionados fossem pagos. Contudo, o BMB negou a reivindicação alegando falta de condições financeiras em virtude de um resultado operacional negativo obtido no primeiro semestre. O banco alegou também que terá despesa extra de R$ 5 milhões mensais na folha de pagamento por causa do aumento conquistado na Convenção Coletiva de Trabalho dos Bancários 2014/2015.

Durante a reunião foi marcada, para o dia 04 de novembro, uma nova rodada de negociação sobre o tema. A diretora do Sindicato dos Bancários/ES, Andrea Queiroz Bicalho, participará dessa nova rodada. “O Sindicato quer fortalecer a luta para que os funcionários do BMB tenham a mesma conquista que os trabalhadores e trabalhadoras do HSBC, que receberam a Participação nos Resultados da Empresa mesmo com o prejuízo que a filial brasileira apresentou no primeiro semestre deste ano”, afirma Andrea.

A diretora destaca, ainda, que o banco deve reconhecer a dedicação dos bancários e bancárias do BMB. “Eles cumpriram sua função, trabalharam arduamente para garantir bons resultados. Prova disso é que das duas agências do BMB que existem no Espírito Santo, uma, que é a de Linhares, deu lucro. A outra, de Vitória, atingiu sua meta. E diversas agências pelo Brasil a fora tiveram boa lucratividade”, diz Andrea.

Imprima
Imprimir