Vitória dos bancários: Caixa divulga nova sistemática da promoção por mérito

Após pressão da categoria, a Caixa divulgou na sexta-feira, 22, a RH 176, que traz critérios, regras e etapas para a concessão de promoção por mérito relativa ao ano-base 2015, que será efetivada em 2016. O posicionamento do banco veio somente depois do ofício encaminhado pela Confederação Nacional dos Trabalhadores do Ramo Financeiro (Contraf) e […]

Após pressão da categoria, a Caixa divulgou na sexta-feira, 22, a RH 176, que traz critérios, regras e etapas para a concessão de promoção por mérito relativa ao ano-base 2015, que será efetivada em 2016. O posicionamento do banco veio somente depois do ofício encaminhado pela Confederação Nacional dos Trabalhadores do Ramo Financeiro (Contraf) e pela Comissão Executiva dos Empregados (CEE/Caixa), no dia 15 de maio, cobrando a divulgação imediata da sistemática ratificada na mesa de negociação permanente no dia 31 de março.

Apesar dos avanços, o novo modelo continua tendo um caráter discriminatório, uma vez que permanece com linha de corte, mantendo a exclusão de parte dos empregados. “Nossa reivindicação é que cada empregado tenha direito a pelo menos um delta, pois todos são responsáveis pelo crescimento do banco. A nova sistemática tem avanços, mas mantém bancários sem promoção”, enfatiza a diretora do Sindibancários/ES e bancária da Caixa Lizandre Borges.

A construção da sistemática de promoção por mérito foi uma das conquistas da Campanha Salarial 2014. Depois de ficarem sem promoção em 2013, com muita luta os bancários conseguiram nas negociações do ano passado garantir um delta para todos e a inclusão da sistemática no ACT 2014/2015.

Graças à pressão feita pelos representantes dos trabalhadores na comissão paritária do PCS, que elaborou a nova sistemática, foram obtidos avanços significativos em relação à anterior. Uma delas é a garantia de um delta com 40 pontos, 10 a menos que na antiga metodologia.

O novo modelo prevê uma pontuação máxima de 70 pontos. Os critérios objetivos serão distribuídos da seguinte forma: 20 pela conclusão de 30 horas anuais de módulos da Universidade Caixa, cinco pontos pela participação no Programa de Controle Médico de Saúde Ocupacional (PCMSO) e outros 15 pontos para a frequência medida pelo Sistema de Ponto Eletrônico (Sipon).

Além dos critérios objetivos, a sistemática da promoção por merecimento prevê critérios subjetivos que contam 20 pontos. Cada empregado poderá indicar de dois a oito empregados da sua unidade (preferencialmente da sua equipe) que atendam aos critérios de avaliação como relacionamento no ambiente de trabalho e contribuição para a solução de problemas. O número de indicações vai variar em função do tamanho da unidade, e a distribuição dos 20 pontos em função do número de indicações recebida por cada empregado. Foi garantida também a pontuação extra de 10 pontos para iniciativa de autodesenvolvimento.

Com informações da Fenae Net

Imprima
Imprimir

Comentários